Perigos do intestino preso

 

É difícil encontrar alguma pessoa que não tenha sofrido com intestino preso, (prisão de ventre, constipação intestinal) em algum momento da vida. Vários são os perigos quando acontece situação de intestino preso. Em outras palavras isto quer dizer que é preciso adotar cuidados, portanto, com o estilo de vida, especialmente, a alimentação e a hidratação.

Para algumas pessoas, infelizmente, a constipação é recorrente porque lhes provoca série de sintomas desconfortáveis que prejudicam a qualidade de vida.

 

O que é constipação intestinal?

 

A constipação (intestino preso, prisão de ventre) pode afetar as pessoas de várias maneiras.  Algumas pessoas, portanto, sofrem com fezes endurecidas, precisando fazer muito esforço para evacuar. Outras, ainda, têm a sensação de esvaziamento incompleto depois de terem ido ao banheiro.

 

Redução de evacuações

 

É considerada normal a redução de evacuações à medida que avança a idade da pessoa. Entre os adultos, por exemplo, é aceito como normal evacuar entre três e 21 vezes por semana, mesmo que o padrão mais comum seja uma evacuação diária.

Em razão do funcionamento intestinal irregular, contudo, tem gente que não tem evacuações todos os dias ou, então, o mesmo número de evacuações diárias.

 

Perigo do intestino preso

 

Quando a pessoa tem menos de três evacuações por semana, portanto, a sua situação pode ser classificada como aguda, porque há alguma coisa impedindo o funcionamento correto do intestino. Neste caso, a recomendação é, pois, buscar a ajuda de especialista.https://prosaudelojas.com.br/como-reduzir-o-risco-de-infarto/

Sintomas da constipação

 

Dieta, idade e padrões intestinais influenciam de maneira direta os sintomas da constipação intestinal.

Alguns sintomas, no entanto, são bastante comuns. Veja!

Movimentos intestinais não frequentes, esforço demasiado para evacuar, fezes duras ou pequenas, sensação de evacuação incompleta, desconforto abdominal, inchaço da barriga, sangramento ou fissuras anais, ansiedade para ir ao banheiro, piora de doença diverticular, hemorroidas, cólica abdominal, excesso de gases (flatulência) e inchaço intestinal.

 

Obstrução intestinal

 

No caso de ocorrer quadro de obstrução intestinal, então, a pessoa pode ter náuseas, vômitos, falta de movimento intestinal, impossibilidade de passar gases, barriga distendida, dor de cabeça e perda de apetite.

 

Causas da constipação intestinal

 

Várias são as causas que podem provocar a constipação intestinal, gerando perigo para a pessoa.Atenção, portanto. Entre as principais causas geradoras de intestino preso podem ser citadas a falta de fibra na alimentação, a  falta de exercícios físicos,  remédios prejudiciais, leite, síndrome do intestino irritável (SII), gravidez, envelhecimento, mudanças na rotina, uso demasiado de laxantes, deixar de ir ao banheiro quando tem vontade, falta de hidratação, distúrbios hormonais, problemas no cólon ou reto e outras doenças que dificultam a excreção.

https://prosaudelojas.com.br/causas-relacionadas-a-hipertensao-arterial/

Tratamento da constipação intestinal

 

Mudanças no estilo de vida, alimentação equilibrada e a prática de atividades físicas são primordiais para que não ocorra situação de constipação.Comer mais fibras, beber mais água e a prática de exercícios ajudam, desta forma, o tratamento.

https://www.minhavida.com.br/saude/temas/intestino-preso

 

Receita natural para prisão de ventre

 

Bom remédio natural para curar a prisão de ventre é formado por vitamina de frutas com os seguintes ingredientes: iogurte natural, granola, mamão e ameixas secas.Abuse, portanto, desta receita.

 

https://www.tuasaude.com/como-curar-a-prisao-de-ventre/

Chás

Chás para evitar prisão de ventre: sene, hortelã-pimenta, gengibre, chá-preto, chá-verde , alcaçuz, camomila e salsa.

 

Alimentos que ajudam a combater intestino preso

 

Azeite, pão integral, alcachofra, amêndoas, abacate, chucrute, aveia, feijão verde, kiwi, batatas cozidas, sementes de linho. São eficazes no combate à constipação já que limpam o intestino.

https://saude.abril.com.br/alimentacao/os-alimentos-que-ajudam-a-combater-a-prisao-de-ventre/

 

https://prosaudelojas.com.br/alimentacao-errada-causa-obesidade-infantil-doencas-e-morte/

Atividade física aumenta a disposição e a autoestima

 

A pessoa que pratica regularmente atividade física aumenta a disposição e a autoestima. Além disto, quem pratica atividade física gera, também, ganho de controle emocional, diminuição da ansiedade e melhora do humor

 

Prática constante

 

A prática regular de exercícios físicos tem influência amplamente positiva na disposição da pessoa porque lhe ajuda a elevar a autoestima e, com isto, lhe aumenta, por extensão, a própria qualidade de vida.

A atividade física contribui para o bem-estar em vários aspectos. Na questão emocional, por exemplo, diminui a ansiedade e o estresse, aumentando a autoestima e a disposição para cumprir as tarefas do dia-a-dia.

Melhora, igualmente, o bem-estar físico, mental e social.

 

Ganhos gerais

 

Praticar exercícios não só proporciona excelente preparação física, porque, simultaneamente, também gera ganhos de vários benefícios, como são os casos, por exemplo, de melhor controle emocional, do aumento da autoestima, da diminuição da ansiedade e da melhora do humor. Especialistas explicam que a pessoa ativa fisicamente tem melhor prevenção do risco de contrair câncer e de osteoporose, especialmente, nas décadas finais de vida.

Reduz, ainda, as chances de contrair diabetes ou, sofrer com problemas cardiovasculares.

A atividade física ajuda, igualmente, a dormir melhor.

https://prosaudelojas.com.br/como-evitar-a-retencao-de-liquidos-no-verao/

Atividade física x exercício físico

 

Há diferenças entre atividade física e exercício físico. Profissionais de Educação esclarecem que atividade física é qualquer atividade que o corpo faz, como, por exemplo, caminhar para pegar o ônibus ou se dirigir ao trabalho. Já o exercício físico é planejado e é feito para melhorar a aptidão física.

A pessoa que é fisicamente ativa, ou seja, que não é sedentária e faz pelo menos algum exercício físico durante o dia, é beneficiada com várias melhorias para a saúde, como ter maior motivação e disposição para a vida em geral.

https://saudebrasil.saude.gov.br/eu-quero-me-exercitar-mais/atividade-fisica-aumenta-a-autoestima-e-a-disposicao-no-dia-a-dia

 

Importância da atividade física para a saúde

 

Mexer-se contribui para ter vida saudável e melhorar os mecanismos do corpo, já que ela tem relação direta com a melhora da qualidade de vida. Isto acontece porque a atividade física reduz bastante os riscos de desenvolver doenças cardiovasculares, diabetes, problemas com baixa imunidade, bem como transtornos emocionais.

A atividade física é extremamente importante para a saúde porque gera a evolução dos estímulos corporais, da qualidade da memória, (sobretudo, idosos), além, é claro, de melhorar o funcionamento de todos os órgãos do corpo.

Especificamente no que concerne aos idosos, a prática regular de atividade física é recomendada para evitar ou retardar os casos da doença de Alzheimer, que afeta muitas pessoas depois dos 65 anos de idade.

 

Atividade amadora ou profissional

 

O exercício físico pode ser executado de forma amadora ou profissional, mas, sempre é preciso levar em consideração os limites de cada pessoa, atentando, especialmente, para a intensidade do movimento.

A pessoa pode decidir pela atividade segundo a necessidade, podendo ser exercício aeróbico, de força ou de equilíbrio, desde que seja feito de modo organizado, uma vez que ajuda a melhorar o desempenho do praticante.

Detalhe importante é o fato de que especialistas esclarecem que o melhor jeito de ter sucesso na ação física é decidir por atividade que agrade e gere satisfação.

Redução ou controle de peso

 

A prática de exercícios físicos é excelente ação para reduzir ou para controlar o peso do corpo. Ademais, presta auxílio para promover o equilíbrio das taxas de gordura na corrente sanguínea.

 

Substituta de remédios

 

A atividade física também se torna fundamental para a saúde porque ela ajudar a diminuir a necessidade de tomar medicamentos, especialmente na diabetes tipo 2, pressão alta e níveis de triglicerídeos.

A prática de exercícios físicos pode ser feita individualmente ou de forma coletiva.

A modalidade esportiva ou a atividade física podem ser diferentes, de acordo com os benefícios e vantagens. Os exercícios em grupo ou as atividades solitárias, como é o caso, por exemplo, da musculação, melhoram o condicionamento do corpo.

https://prosaudelojas.com.br/produtos-naturais-no-combate-a-depressao/

Benefícios para o organismo

 

A adoção de estilo de vida diferenciado, a fuga do sedentarismo, a obediência à prática de hábitos saudáveis resultantes da prática regular de exercícios físicos promovem melhorias tanto na área emocional quanto na física, já que os benefícios são significativos.

A atividade física contribui para a melhora da saúde em vários aspectos. Veja!

  • Reduz os riscos de desenvolvimento de enfermidades cardiovasculares, infarto, acidente vascular cerebral (AVC) e hipertensão.
  • Mantém sob controle a taxa de colesterol LDL (colesterol ruim) e aumenta o índice de colesterol HDL (gordura boa).
  • Ajuda a controlar a hipertensão arterial.
  • Diminui o risco de desenvolver diabetes e controla a taxa de glicose no sangue.

 

Outros benefícios para o organismo

 

  • Reduz as chances de desenvolver tipos de câncer, sobretudo quando a atividade física está amparada em boa alimentação.
  • Auxilia a controlar o peso, questão, igualmente, aliada à alimentação de qualidade.
  • Gera melhoria nos episódios de depressão, de ansiedade, além de auxiliar a manter sob controle outros transtornos psicossociais.
  • Nas crianças, além de melhorar a interação social, evita a obesidade infantil.
  • Em idosos contribui para melhorar a autoestima, já que se sentem mais fortes, mais ativos e mais dispostos. Melhora, ainda, a flexibilidade, a postura e conservação dos ossos, importante para a execução de tarefas rotineiras.

https://prosaudelojas.com.br/segredos-do-emagrecimento-saudavel/

 Benefícios para o cérebro

 

As informações captadas no ambiente por intermédio dos sentidos são levadas ao tecido cerebral.

É através do que recebe da audição, do tato, do paladar, do olfato e da visão que o cérebro executa processo desencadeado por meio de movimentação de músculo. O contato do cérebro com o meio externo ocorre, portanto, pela atividade física, através de qualquer movimento.

No momento em que é realizada atividade, o cérebro é oxigenado com sangue de boa qualidade, fazendo com que várias ações aconteçam no corpo.

Elas geram melhor desempenho da memória e maior capacidade intelectual, uma vez que ocorre a liberação de endorfina, hormônio que transmite a sensação de prazer. Diminuem, ainda, a ansiedade e ativam a serotonina, neurotransmissor que combate a depressão.

 

Questão estética

 

Mesmo que o principal objetivo da atividade física seja a melhora da saúde, muitas pessoas também consideram a questão estética quando decidem fazer exercícios físicos.

Tem muitas pessoas adeptas da prática de exercícios físicos, portanto, mais preocupadas com o aumento da massa corporal (definição muscular) do que com a saúde e a qualidade de vida propriamente ditas.

Categorias de exercícios

 

De acordo com os objetivos, os exercícios podem ser classificados em duas categorias. Acompanhe!

  • Exercícios aeróbicos: são de longa duração e pouca intensidade. Exemplos: caminhada, pedalada, corrida, natação, dança, além de outros esportes com menor nível de exigência física.
  • Exercícios anaeróbicos: são de longa duração e baixa intensidade. Exemplos: musculação, ioga e Pilates.

 

Organismo em forma e resistente

 

A atividade física também tem importância para a saúde porque mantém o corpo em forma e resistente. Especialistas informam, portanto, que qualquer atividade que submeta a pessoa à movimentação regular e ritmada gera benefícios.

Sedentarismo gera danos à saúde

 

De modo contrário à prática de exercícios físicos, o sedentarismo gera sérios danos à saúde, a saber:

  • Risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares.
  • Aumento de peso.
  • Perigo de contrair resfriados em razão da baixa imunidade corporal.
  • Facilidade para desenvolver doenças psicológicas, caso, por exemplo, do transtorno de ansiedade.
  • Fraqueza dos ossos, caso da artrite, da artrose e da osteoporose.

 

https://www.educamaisbrasil.com.br/enem/educacao-fisica/a-importancia-da-atividade-fisica-para-a-saude

 

Disposição para o trabalho

 

Por causa comodidade gerada pelas tecnologias, tanto no trabalho quanto no lazer, muita gente segue estilo de vida marcado pela inatividade física e, pior, ainda, pela alimentação hipercalórica dos fast-foods.

O sedentarismo, infelizmente, está bastante presente na atualidade. Muitas pessoas não consideram o fato de que o exercício físico é o que mais contribui para a boa saúde. O hábito de se exercitar é facilmente abandonado, gerando, assim, prejuízos à saúde.

 

Benefícios da atividade física

 

Diversos são os benefícios que resultam da prática regular de atividade física. Veja:

  • Aumento da resistência à fadiga central e periférica.
  • Elevação da disposição e motivação para o trabalho.
  • Melhora da saúde física, mental e espiritual.
  • Maior relacionamento interpessoal.
  • Melhoria da autoimagem.
  • Redução do estresse.
  • Diminuição de dores.
  • Alívio às tensões.

A prática regular de atividades físicas proporciona, igualmente, a redução dos níveis dos hormônios causadores do aumento do estresse, caso da adrenalina, da noradrenalina e do cortisol.

 

Vantagens dos exercícios físicos

 

Fazendo exercícios físicos, a pessoa tem a vantagem e a alegria de ver aumentar a autoestima e diminuir, em contrapartida, a insatisfação, a ansiedade e a depressão, além, é claro, de várias outras melhorias.

 

Liberação de endorfina

 

As atividades físicas liberam, também, a endorfina, conhecida como o “hormônio da felicidade’’, responsável por proporcionar ao organismo, sensações como bem-estar, euforia e alívio.

 

Produção de dopamina

 

Colocar o organismo em movimenta também produz dopamina, tranquilizante e analgésico natural.

A pessoa que tirar alguns minutos por dia para se exercitar terá mais disposição e vai aumentar a autoestima.

Quem pratica qualquer tipo de atividade física promove o aumento do volume sanguíneo e gera maior oxigenação dos músculos.

Isto faz, portanto, que o praticante de atividade física tenha fôlego maior e mais disposição e energia para realizar as tarefas.

 

https://blog.tapago.com.br/a-importancia-da-atividade-fisica-e-disposicao-no-trabalho/

 

Exercícios combatem a falta de disposição

 

Simultaneamente ao fato de que cada pessoa precisa cuidar da saúde, da boa forma e melhorar o condicionamento físico, ela precisa se manter constantemente ativa por outra razão, qual seja, a sensação de bem-estar que é gerada após a prática de exercícios físicos.

Isto acontece, conforme explicam especialistas, porque os exercícios físicos combatem a falta de disposição.

 

Plano de ação global

 

Para combater o sedentarismo e as doenças que gera, a Organização das Nações Unidas (ONU) lançou plano de ação global para promover atividades físicas por parte de adolescentes e de adultos.

A iniciativa tem como base o fato de que, a partir dos 30 anos de idade, por conta da queda na produção hormonal, entre outros fatores, o desempenho do corpo diminui. Em razão disto, a prática de atividades físicas se torna indispensável para manter o bom funcionamento do organismo.

Mexer-se, portanto, é a palavra de ordem de todos os momentos, hoje e amanhã.

 

Evitar envelhecimento precoce

 

Segundo estudiosos, se exercitar é fundamental para reduzir as principais consequências do envelhecimento precoce como, por exemplo:

  • Perda de massa muscular (sarcopenia) que leva à diminuição da força e prejudica a autonomia, mas pode ser prevenida através de musculação, do Pilates e de ginástica localizada.
  • Redução de massa óssea (osteopenia e osteoporose) aumentando o perigo de fraturas, além de prejudicar a locomoção. A prática de exercícios físicos reduz o impacto, já que eles melhoram a absorção do cálcio (caminhada e corrida).
  • Complicações cardiovasculares capazes de aumentarem o risco de hipertensão e de doenças coronárias, mas, que são passíveis de prevenção por exercícios que condicionam o coração sem grandes esforços (ciclismo e natação).
  • Evita o mal de Alzheimer e outras doenças senis que comprometem a memória e a autonomia. Melhoras ocorrem, felizmente, com o ganho de novas sinapses neurais decorrentes de exercícios (dança).
  • Diabetes pode ser prevenido, retardado ou combatido com atividades aeróbicas e musculação visando à redução do nível de açúcar no sangue.

 

Por que os exercícios combatem a falta de disposição?

 

Os estímulos hormonais gerados pelo corpo, aliados a outros fatores, caso da alimentação balanceada, por exemplo, têm o poder de combater a falta de disposição e, ainda, colaborar para a melhora da saúde física e mental.

Entre os hormônios liberados em razão da realização de atividades físicas podem ser destacados os seguintes:

  • Endorfina: promove sensações de prazer, de euforia e de força de vontade, ampliando a disposição e a motivação. De modo semelhante, a substância também melhora a resistência imunológica e, afasta, por extensão, várias doenças.
  • GH: o hormônio do crescimento atua na lipólise, ou seja, auxilia a “queima” das reservas de gorduras mesmo após o exercício físico.
  • Adrenalina e noradrenalina: são elas que fornecem energia aos músculos, ajudando a melhorar o desempenho nas atividades físicas e, ainda, ajudam a ampliar o gasto energético.

 

Principais causas do desânimo

 

O indivíduo que se deixar dominar pelo cansaço e não quer aderir à rotina de exercícios físicos precisa investigar as razões do desânimo para combater a falta de motivação.

São exemplos de possíveis causas de desânimo, as situações abaixo elencadas, não se esquecendo, a propósito, que os exercícios são fortes e significativos auxiliares das ações que objetivam combater a falta de disposição.

  • Alta carga de estresse

Em razão das fadigas físicas e mentais tão comuns na atualidade, resultantes do excesso de preocupações ou de situações de forte pressão, o desânimo e a falta de disposição surgem facilmente. Para aliviar esta tensão, a pessoa precisa encontrar forma de relaxar. Entram em cena, neste contexto, a realização de terapia, a prática de yoga, viagens ou outras atividades prazerosas capazes de promover relaxamento, tanto físico quanto mental.

  • Excesso de café o chá preto

O consumo frequente e elevado de cafeína prejudica a qualidade do sono, ação importante e necessária para o corpo se recuperar. O ideal é abandonar o consumo, mas, se isto for difícil, é preciso diminuir o consumo de café ou de chá preto para, no máximo, três xícaras diárias.

 

  • Evitar o consumo de álcool

Consumir bebida alcoólica é prejudicial porque ela desidrata o corpo, prejudica o sono e, ainda, afeta negativamente a produção hormonal. Importante se faz observar que os danos que o álcool causa ao corpo acontecem mesmo que o consumo seja feito com moderação ou “socialmente” como justificam alguns consumidores. Se não beber, o fígado e outros órgãos da pessoa agradecem bastante.

  • Falta de carboidratos bons

A ausência de reserva de glicogênio (oriundo da glicose) faz com que o corpo fique sem energia. Esta é uma das razões, portanto, da necessidade de se fugir de dietas restritivas para evitar a deficiência de nutrientes. A solução é se alimentar de maneira saudável e equilibrada.

 

  • Hormônios desregulados

Os sinais da disfunção, por representarem problema de saúde, precisam ser analisados por médico endocrinologista para receberem o tratamento com a medicação apropriada.

https://prosaudelojas.com.br/alimentacao-errada-causa-obesidade-infantil-doencas-e-morte/

Ações ajudam a ter mais ânimo

 

Várias atitudes são positivas e auxiliam a ação de combater a falta de disposição. Leia!

  • Estabelecer metas em médio prazo.
  • Preparar-se com antecedência.
  • Encontrar parceiro/a para a atividade.
  • Montar playlist empolgante.
  • Não exagerar na frequência e na intensidade das atividades.

Os exercícios devem ser individualizados, atendendo a demanda de acordo com as necessidades e capacidades de cada qual, já que o excesso é prejudicial e pode gerar lesões. Está aí, razão bem clara para que o exercício físico seja programado e, se possível, acompanhado por profissional.

  • Obediência às recomendações de descanso para a recuperação depois da realização do exercício.
  • Escolher algo agradável: de suma importância é o fato de que é preciso ter prazer para realizar determinada atividade física, porque isto serve como motivação para perseverar nela. Assim, além de combater a falta de disposição, praticar exercícios físicos regulares gera consequências positivas tanto na vida pessoal quanto profissional e social. Fundamental, portanto, se torna a necessidade de incluir os exercícios físicos na rotina, mesmo que ela seja bastante agitada. Há que se priorizar, portanto, a busca de tempo para efetuá-las.

 

https://news.gympass.com/falta-de-disposicao/

 

Qual é a melhor atividade física?

 

Para muita gente, a melhor atividade física é aquela da qual mais gostam. Grande número de pessoas, contudo, diz não gostar de nenhum tipo de atividade física. Isto é muito ruim porque o organismo sente falta dos movimentos e as doenças aparecem com maior grau de facilidade.

A orientação de profissionais é a de que a pessoa precisa fazer atividade física gostando ou não, tendo tempo ou não. Inexiste alternativa diferente.

Levando em conta a importância da atividade física para a qualidade de vida e a saúde é preciso ter em mente que elas interferem no desempenho no trabalho e na vida em geral.

Mesmo as pessoas que têm a rotina bastante agitada precisam se render à prática de exercícios físicos, uma vez que diversos são os benefícios. Acompanhe!

> Redução de doenças crônicas.

> Melhora do sono e da disposição.

> Aumento da autoconfiança.

> Ampliação da autoestima.

> Diminuição do estresse.

> Aumento da produtividade.

 

Exercícios físicos alternativos

 

É possível praticar exercícios físicos mesmo tendo vida tumultuada. Conheça algumas dicas de atividades físicas alternativas.

< Correr, caminhar ou pedalar logo cedinho.

< Trocar o elevador pelas escadas.

< Alongar-se.

< Dedicar tempo para frequentar academia antes ou depois do trabalho.

< Participar de ginástica laboral.

< Buscar avaliação médica.

< Ingerir muita água.

https://prosaudelojas.com.br/a-suplementacao-alimentar-no-auxilio-ao-emagrecimento/

Flexibilidade, resistência e força

 

A pessoa ao realizar exercícios físicos trabalha a flexibilidade, a resistência e a força do organismo. Ao flexionar os músculos, por exemplo, a pessoa também exercita o cérebro, já que novas ideias e impressões vão aparecendo para melhorar a atividade.

A regularidade da prática de atividade gera benefícios que extrapolam o campo físico, já que eles se estendem, igualmente, à saúde emocional e mental.

 

Índice de sedentarismo alarmante

 

De acordo com sondagem feita pela Organização Mundial da Saúde (OMS), praticamente a metade da população brasileira é sedentária. Os dados foram coletados ao longo de 15 anos de estudo e mostraram que quase 50% dos brasileiros adultos não praticam nenhuma atividade física ou, o fazem de forma insuficiente.

 

Padrão da OMS

 

Segundo o padrão estabelecido pela OMS, há a necessidade da prática de, pelo menos 150 minutos (2,5h) de exercícios moderados ou, então, 75 minutos de atividades intensas por semana.

Quer dizer, então, que muitos brasileiros estão abaixo do padrão da Organização Mundial de Saúde.

 

Questão preocupante

 

A pouca ou nenhuma prática de exercícios físicos preocupa porque os riscos de desenvolver doenças, caso das cardiovasculares, de alguns tipos de cânceres ou, ainda, de diabetes, sofrem sensível aumento.

 

Aumento da longevidade

 

Centenas de estudos traçam relacionamento direto entre a prática regular de atividades físicas com o aumento da longevidade. O mesmo acontece, igualmente, no que se refere à redução dos casos de câncer, de osteoporose, de diabetes e de doenças do coração, além de outras.

Ademais, a atividade física aumenta a capacidade mental, fato comprovado por estudo.

O sedentarismo é fator importante para avaliar a potencialidade de desempenho e mental das pessoas.

O combate ao sedentarismo, portanto, se torna importante também para quem quer eliminar a fadiga e o desânimo da vida. Com isto, igualmente, ocorre melhor qualidade do sono, criando, assim, círculo virtuoso que propicia maior grau de bem-estar físico e emocional.

 

https://beecorp.com.br/blog/atividade-fisica-qual-sua-importancia/

 

Praticar atividade física gera disposição e eleva a autoestima

 

Não são poucos os ganhos daqueles que se dedicam a prática regular e constante de atividade física, inserindo-a na rotina.

Se uma pessoa estabelecer planejamento para fazer atividade física regularmente, maiores e melhores serão os resultados. Se ela, por exemplo, decidir caminhar 30 minutos em cinco dias da semana, a atividade vira exercício físico porque existe um planejamento e uma meta a serem atingidos, qual seja, acumular quantidade de horas semanais para melhorar a aptidão física e, por extensão, a saúde como um todo. Caminhando de segunda a sexta, 30 minutos cada dia, a pessoa chegará a 150 minutos semanais, tempo recomendado para a melhora da aptidão física, segundo orientam profissionais de Educação Física.

 

Mais do que apenas os ganhos físicos

 

Profissionais da área afirmam que o exercício físico faz muito mais do que colocar o corpo em forma. Segundo eles, quando a pessoa se exercita, o corpo responde liberando série de hormônios que, por sua vez, influenciam de forma positiva todos os demais órgãos.

A pessoa que pratica exercícios físicos regularmente tem mais disposição porque tem maior aptidão cardiorrespiratória e muscular. Tem o corpo melhor preparado para qualquer outra atividade, porque, muito além da ausência de doenças, está habilitado a desfrutar de bem-estar físico, mental e social.

https://prosaudelojas.com.br/importancia-dos-exercicios-no-processo-de-emagrecimento/

https://saudebrasil.saude.gov.br/eu-quero-me-exercitar-mais/atividade-fisica-aumenta-a-autoestima-e-a-disposicao-no-dia-a-dia

 

Como evitar os problemas mais comuns do verão

Inchaço, retenção de líquidos, sobrepeso, celulite e estrias são alguns dos males cuja incidência aumenta de forma significativa durante o período de dias mais quentes do ano. Por esta razão, importante se torna saber como evitá-los para manter a boa saúde corporal, tanto física quanto mental.

 

Inchaço do corpo

 

Conhecido popularmente como retenção de líquidos, o inchaço do corpo (ou em parte dele) tem como possíveis causas, problemas renais, cardíacos ou hepáticos ou, ainda, doenças da tireoide, que provocam tipo específico de edema.

Pernas inchadas no final do dia e marcas deixadas pela pressão de meias ou dos sapatos são exemplos do edema (termo médico usado para o inchaço).

 

Extravasamento de líquido

 

O edema (inchaço) resulta do extravasamento de líquido (pobre em proteínas do sangue) que sai dos vasos sanguíneos e vai para o tecido subcutâneo. Ele gera o aspecto inchado e brilhante da pele, deixando marca (sulco) temporária.

 

Causa do inchaço

 

A retenção de líquido é causada pelo acúmulo de água entre as células do corpo. As mulheres são bastante atingidas pelo inchaço principalmente durante a menopausa e o período pré-menstrual. O fato acontece por causa de alterações hormonais que ocorrem no organismo durante estes períodos.

Outros fatores que podem ocasionar a mesma disfunção são variações de pressão sanguínea, ingestão inadequada da quantidade de proteínas e de sais, sedentarismo, problemas hormonais, alguns medicamentos, ação da força gravitacional e a má circulação de sangue em algumas regiões do corpo.

 

Mecanismos de manutenção

 

Sofisticados mecanismos atuam para manter o equilíbrio dos líquidos no corpo, cuja composição chega a ter até dois terços de água. Todos os fluidos corporais, inclusive o sangue, contudo, são divididos segundo a função.

Eventuais desequilíbrios nos citados mecanismos, tais como, por exemplo, variações de pressão sanguínea, quantia de proteínas no sangue, quantidade de sais disponíveis no corpo, ação da força da gravidade, sedentarismo, entre outros, são capazes de favorecer o aparecimento do inchaço.

https://prosaudelojas.com.br/como-prevenir-a-hipertensao-arterial/

Outras causas

 

Há, ainda, várias outras causas capazes de efetuarem a retenção de líquidos. Veja!

> Problemas renais, cardíacos ou hepáticos.

> Doenças da tireoide.

> Remédios, caso de alguns anti-hipertensivos, que alteram a permeabilidade dos vasos sanguíneos.

> Reações inflamatórias decorrentes de reações alérgicas.

Em geral, porém, os pequenos inchaços têm causa local, tendo como causa a circulação regional insuficiente.

 

Sintomas do edema

 

É comum pessoas notarem sintomas do edema (inchaço) em regiões mais suscetíveis ao acúmulo de líquidos. São os casos, por exemplo, das pernas e das costas de pessoas que ficam deitadas por muito tempo ou, ainda, em locais mais sujeitos à ação da força da gravidade.

 

Diagnóstico

 

Avaliação médica do quadro clínico é necessária para que possa ser feito o diagnóstico da retenção de líquidos. De semelhante modo, também pode haver a necessidade de realizar exames de sangue objetivando conhecer a quantidade de sais e proteínas. Além disto, igualmente, também se fazem necessárias avaliações cardíaca, hepática, renal, imunológica e tireoidiana. Às vezes, ainda, também se faz necessário realizar exames para avaliar as veias e as artérias próximas ao local mais afetado pelo inchaço.

 

Tratamento específico

 

Cada tipo de inchaço demanda do conhecimento da causa que o originou, já que há a necessidade de tratamento específico. Por esta razão, a recomendação é a de buscar ajuda médica.

 

Como reduzir o inchaço

 

Ao causar o inchaço corporal, a retenção de líquidos incomoda muitas pessoas, especialmente as mulheres. O problema, todavia, pode ser combatido com dieta balanceada e o uso de dermocosméticos. Alguns servem para reduzir a gordura da região abdominal, outros, para potencializar a “queima” de gordura durante os exercícios físicos.

 

Dores corporais

 

Aliado ao inchaço que a retenção de líquido gera, ela também causa dores corporais, estresse e desconforto intestinal.

Da mesma forma, a retenção de líquido e as alterações hormonais provocam o agravamento e a persistência da celulite.

 

Recomendação

 

Com a finalidade de combater o inchaço e a retenção de líquido, portanto, importante é garantir o bom funcionamento do organismo. Isto é possível com a adoção de alimentação saudável e balanceada. Além disto, beber, no mínimo 2,5 litros de água por dia, também é crucial, porque vai incrementar a eliminação de toxinas do corpo, promovendo, como consequência, o bom funcionamento dos rins.

Dicas para diminuir a retenção de líquido

 

Bons costumes auxiliam a prevenção contra a retenção de líquido, e, por extensão, o inchaço causado por ela.

Para a pessoa que, ao fim do dia, costuma ficar com as pernas e os pés inchados, a recomendação é a de se deitar com os pés mais altos do que o restante do corpo.

Outra dica é praticar exercícios físicos que trabalhem as pernas, caso, por exemplo, de caminhar ou de pedalar bicicleta.

No caso de a pessoa precisar trabalhar por muito tempo na mesma posição, (sentada ou em pé), a recomendação é fazer pausas para se movimentar e estimular a circulação corporal.

 

Evitar alimentos prejudiciais

 

Fundamental quando se trata de dieta saudável é evitar alimentos ricos em sódio, em açúcar, em conservantes e embutidos. São exemplos, os refrigerantes e fast foods.

O correto é incluir legumes, verduras, leguminosas e oleaginosas na alimentação. Melancia, melão e abacaxi são tipos de frutas com nutrientes com alto poder diurético, ajudando a eliminar toxinas.

De semelhante forma, também é importante consumir alimentos probióticos, caso dos iogurtes, por exemplo, que tornam a flora intestinal mais saudável, além, ainda, de ajudarem a melhor absorver os nutrientes, contribuindo para a redução do incômodo inchaço.

https://prosaudelojas.com.br/relacao-do-cancer-com-a-alimentacao/

Manter-se hidratado sempre

 

Fundamental é não deixar de beber água (mesmo nos dias frios) porque a desidratação é uma das principais causas da retenção de líquido.

Quanto maior o volume de água ingerido, maior será o número de toxinas que o corpo vai eliminar, favorecendo, com isto, a diminuição do inchaço.

https://prosaudelojas.com.br/a-hidratacao-auxilia-o-combate-a-dores-articulares/

Obesidade, epidemia mundial

 

Outro problema bastante comum no verão é a obesidade.

A doença contribui para o aumento do risco cardiovascular e diabetes. Felizmente, alimentação equilibrada e variada acompanhada da prática de atividades físicas regulares ajuda a controlar o problema.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) considera a obesidade como epidemia porque ela não só afeta a longevidade, mas, também a qualidade de vida das pessoas.

 

Causas da obesidade

 

Na maioria dos casos, a obesidade resulta da interação entre fatores genéticos, ambientais, emocionais e hábitos de vida. Entre os fatores mais comuns, estão:

https://prosaudelojas.com.br/alimentacao-errada-causa-obesidade-infantil-doencas-e-morte/

  • Elevada ingestão de alimentos/calorias

Caloria é o valor energético de cada alimento, ou seja, o tanto de energia que o alimento fornece ao corpo. Em outras palavras isto quer dizer que quanto mais calórico for o alimento, mais esforço o organismo precisa fazer para “gastá-lo”, ou seja, a ingestão de calorias deve ser proporcional ao gasto calórico. A energia não utilizada pelo corpo, portanto, acaba se transformando em reserva de gordura.

https://prosaudelojas.com.br/alimentos-que-aceleraram-o-metabolismo/

  • Sedentarismo

A não-prática de exercícios físicos é uma das principais causas da obesidade, que gera outras doenças graves, caso, por exemplo, da diabetes e da hipertensão. A prática regular de exercícios físicos, desta forma, é importante para quem precisa manter ou perder peso. Detalhe importante é o fato de que tanto a perda quanto o ganho de peso precisam ser acompanhados por profissional.

 

  • Fator genético

Bastante acentuada é a relação entre os fatores genéticos e a obesidade. Estudos mostram que quando um dos pais é obeso, a possibilidade dos filhos serem obesos é de 50%. Quando, todavia, ambos os pais apresentam obesidade ou sobrepeso, o percentual dos filhos se tornarem sobe para 80%.

 

  • Problemas hormonais

Hormônios controlam desde a vontade de comer e a sensação de saciedade até outras funções mais complexas do metabolismo. Quaisquer alterações nas glândulas suprarrenais e na tireoide, além do hipotálamo, portanto, precisam ser investigadas e tratadas.

 

Condição para outras doenças

 

Paralelamente ao fato de ser considerada doença, a obesidade representa grave risco para o desenvolvimento de outras patologias. São resultados deste perigo, a diabetes tipo 2, a hipertensão arterial, neoplasias, a síndrome de apneia obstrutiva do sono, patologia osteoarticular degenerativa e, ainda, a dislipidemia.

 

Associações inadequadas

 

Resultando, especialmente, de hábitos de vida sedentários e de alimentação rica em açúcar e em gordura, a obesidade é doença de fisiopatologia complexa e de difícil tratamento.

Reduzir o montante de calorias que são ingeridas, em muitas situações, muitas vezes não é o suficiente. A adoção de alguns cuidados, por esta razão, caso da prática de exercício físico, é necessária para reduzir os riscos.

Seguir conjunto de regras ajuda a controlar e a evitar o problema. Acompanhe!

 

  • Obedecer à dieta equilibrada e variada

Consumir somente as porções recomendadas, isto é, não comer mais do que o recomendado, dando preferência a legumes, a cereais integrais, a peixes de escama e a frutas.

 

  • Evitar alimentos processados

Não comer alimentos com açúcar e com gorduras saturadas.

 

  • Reduzir ou eliminar o consumo de carnes vermelhas.
  • Abandonar o consumo de manteiga e os lacticínios com alto teor de gordura.

 

  • Conhecer os alimentos que come

Saber, portanto, o valor nutricional de cada alimento e o tipo de nutriente que fornece ao organismo ajuda a fazer melhores escolhas.

 

  • Não ficar mais de três horas sem comer

Fazer refeição a cada três horas é, pois, importante para ajudar a manter o organismo saciado, além, ainda, para auxiliar a estabilizar o açúcar no sangue e a insulina. Atenção, contudo, para detalhe importante: as porções de alimentos precisam ser pequenas já que o recomendado é comer pouco e mais vezes ao dia, sempre levando em conta o fato de que não se deve ultrapassar o nível do aporte calórico recomendado ao corpo.

 

  • Praticar atividade física regular

A verdade é a de que basta escolher atividade que dá prazer. O importante é se mexer com regularidade.

 https://prosaudelojas.com.br/importancia-dos-exercicios-no-processo-de-emagrecimento/

  • Fugir de dieta “relâmpago”

Buscar orientação de especialista é a principal recomendação, porque, às vezes, emagrecer pode até ser fácil, mas, o difícil mesmo é manter o peso dentro dos valores recomendados.

 

https://www.atlasdasaude.pt/publico/content/obesidade-como-prevenir]

 

Dicas de alimentação para prevenir a obesidade

 

Adotar alimentação adequada e saudável é a melhor forma de prevenir o sobrepeso e a obesidade.

O mesmo acontece com o fato de evitar ambientes desfavoráveis e dar atenção aos rótulos dos alimentos, medidas que ajudam muito a prevenção da obesidade.

No Brasil, o aumento expressivo do sobrepeso e da obesidade acontece em todas as faixas etárias, já que o excesso de peso atinge um em cada dois adultos e uma em cada três crianças.

O aumento do consumo de alimentos ultraprocessados, com composição nutricional desbalanceada e rica em gorduras, açúcares e sódio e a baixa (ou nenhuma) atividade física, são causas do problema.

Obesidade e desenvolvimento do câncer

 

Especialistas observam que a obesidade é doença crônica que tem origem multifatorial e é de difícil manejo, estando associada a fatores genéticos, ambientais e comportamentais.

A obesidade decorre, na maioria dos casos, do desbalanceamento energético, quando o indivíduo consome mais energia do que gasta e resulta em ganho de peso. Influencia, igualmente, o ambiente obesogênico, que favorece comportamentos relacionados à ingestão de alimentos densamente calóricos e sedentarismo. Não se pode esquecer que a alimentação vai além das escolhas individuais, porque é influenciada pelo ambiente no qual o indivíduo está inserido.

Alimentos que ajudam a prevenir a obesidade

 

Dicas para facilitar a adoção de escolhas alimentares mais saudáveis com a finalidade de prevenir a obesidade:

 

  • Preferir alimentos in natura ou minimamente processados e de origem vegetal.
  • Optar por alimentos obtidos diretamente de plantas ou de animais. A recomendação, ainda, contempla os alimentos que não foram submetidos a processos que envolvam agregação de sal, de açúcar, de óleos, de gorduras ou de outras substâncias ao alimento original. São exemplos, as frutas, as verduras, os legumes, o leite, o iogurte natural, os feijões, os cereais, as raízes, os tubérculos, os ovos, as farinhas integrais, o macarrão, as castanhas, as frutas secas, os sucos integrais, o chá e a água potável.

 

  • Controlar o consumo de alimentos de origem animal

Alimentos de origem animal são boas fontes de proteínas e da maioria das vitaminas, porém, não contêm fibras, podendo adicionar elevada quantidade de calorias por grama, além, ainda, de terem teor excessivo de gorduras não-saudáveis (gorduras saturadas). Por este motivo, adquire grande importância o controle do consumo de carnes (bovina, frango e, inclusive, de peixe), sobretudo por cardiopatas e pessoas com fatores de risco cardiovascular, já que são alimentos que contêm maior quantidade de gordura saturada, sal e colesterol, elementos prejudiciais ao coração.

 

  • Utilizar óleos, gorduras, sal e açúcar em pequenas quantidades

Costumeiramente empregados para cozinhar e temperar alimentos in natura ou minimamente processados, os condimentos deixam os alimentos mais agradáveis ao paladar. Estão, nesta relação, portanto, produtos como óleos (de soja, de milho, girassol, algodão ou de oliva), gordura de coco, açúcar (mascavo ou demerara) e sal que precisam ser utilizados em pequenas quantias, pois, além de favorecerem o ganho de peso, eles, ainda, aumentam o risco de doenças do coração (sódio e gorduras), de cáries e diabetes (açúcar).

 

  • Comprar mais em feiras livres ou diretamente de produtores

Sempre que possível, fazer as compras em locais nos quais são comercializados preferencialmente alimentos in natura ou pouco processados, incluindo orgânicos e de base agroecológica. Para fazer as compras em supermercado, dica é levar lista de alimentos para evitar comprar mais do que o necessário, especialmente produtos ultraprocessados em promoção.

 

  • Desenvolver habilidades culinárias

O ato de se bem alimentar exige cozinhar alimentos in natura ou pouco processados. Razão pela qual, portanto, é importante desenvolver habilidades culinárias. No caso de haver falta de tempo, por exemplo, a dica é cozinhar alimentos que demandam mais tempo (caso do feijão, por exemplo) num único dia, congelá-los e utilizá-los durante a semana. O macarrão, por exemplo, pode ser preparado com molho de tomate natural. Já sopas, omeletes ou arroz podem ser preparados com legumes refogados. Ademais, são excelentes opções para os dias em que o tempo para prepará-los é reduzido.

 

  • Fugir de ambientes desfavoráveis

Existem comportamentos capazes de fazer a pessoa se alimentar de forma inadequada e exagerada. Comer em frente à televisão, ao celular ou ao computador, sem atenção e de maneira rápida, facilitam o ganho de peso. Comer com regularidade e atenção em local limpo, confortável e tranquilo, (de preferência na companhia de familiares, amigos ou colegas de trabalho) ajuda bastante, uma vez que compartilhar refeições e comer sem pressa amplia o prazer proporcionado pelo ato de se alimentar.

 

  • Cuidar com publicidade sobre alimentos

Muitas vezes, anúncios que são feitos sobre alimentos ultraprocessados veiculam informações incorretas ou incompletas sobre eles. Por isto, não raras vezes, a propaganda acaba prejudicando a escolha de alimentares mais saudáveis. Neste caso, há a necessidade de ir além das informações constantes na embalagem, verificando, de forma atenciosa, a relação dos ingredientes. O alimento classificado como ultraprocessado deve, portanto, ser evitado, especialmente quando os ingredientes são formulações industriais.

 

Doenças associadas à obesidade

 

A obesidade e o sobrepeso têm o poder de gerarem ou de agravarem doenças, caso, por exemplo, da apneia, da infertilidade e de problemas de coagulação, além de outras mais graves que, inclusive, podem causar morte.

 

  • Hipertensão arterial

Principal causa de morte em todo o mundo, a hipertensão arterial causa 17,3 milhões de mortes por ano. O Brasil é o sexto país com maior número de mortes por hipertensão. Segundo a OMS, 30% dos brasileiros sofrem hipertensão arterial. Atenção, muita atenção, portanto, com a doença.

  • Diabetes

Considerada epidemia mundial, atinge a mais de 246 milhões de pessoas adultas. Em nosso país, são mais de 10 milhões de pessoas que sofrem com ela.

  • Problemas articulares

Por sofrer sobrecarga de peso, a estrutura óssea de pessoas obesas é mais propensa a apresentar dores crônicas, hérnia de disco e desgastes nas articulações, especialmente dos membros inferiores.

  • Câncer

Bibliografia especializada relaciona a obesidade com o aumento do risco de tumores malignos de mama, endométrio, vesícula, próstata e intestino grosso.

  • Esteatose hepática e cirrose hepática

A Sociedade Brasileira de Hepatologia (SBH) informa que 80% dos pacientes com sobrepeso apresentam doença no fígado.

Prevenção é fundamental

 

Alguns aspectos são importantes e precisam ser considerados quando se trata da questão do sobrepeso.  Acompanhe!

  • Ter conhecimento dos fatores geradores, bem como estar sempre atento aos primeiros sinais de distúrbios alimentares são questões de suma importância para prevenir a obesidade.

 

  • Criar hábitos alimentares saudáveis e praticar exercícios físicos regularmente, educar e estimular, (especialmente as crianças) para que optem por alimentos saudáveis, menos processados e pobres em gordura e açúcar, é modo de evitar o sobrepeso e a obesidade.

 Tratamentos para a obesidade

  • Tratamento clínico

É, na grande maioria das vezes, o mais indicado. Precisa, contudo, ser feito de modo conjunto e integrado por médicos, nutricionistas, psicólogos e educadores esportivos.

 

  • Balão intragástrico

Um dos tratamentos auxiliares contra a obesidade é o balão intragástrico que é indicado para pessoas com IMC superior a 27.  O balão é colocado no estômago por meio de procedimento endoscópico e funciona diminuindo o espaço da cavidade gástrica, aumentando a saciedade e diminuindo a fome.

 

https://gastrica.com.br/obesidade-saiba-como-se-prevenir-e-tratar/

 

Celulite

 

Comum às mulheres, a celulite (nome popular da lipodistrofia ginoide), nada mais é do que o depósito de gordura sob a pele.

Ela se caracteriza pelo aspecto ondulado da epiderme, tipo “casca de laranja”, em algumas áreas do corpo. Afeta cerca de 95% das mulheres após a puberdade, de todas as etnias, embora seja mais comum entre as de pele branca.

Raramente é observada em homens, mas pode ocorrer quando houver algum desequilíbrio hormonal.

Não considerada doença, a celulite, contudo, é preocupação estética importante para muitas mulheres.

A celulite tende a ocorrer nas áreas onde a gordura está sob a influência do estrógeno (hormônio feminino), caso dos quadris, das coxas e das nádegas; mas, também pode ocorrer nas mamas, na parte inferior do abdome, nos braços e na nuca

A obesidade não é, necessariamente, contudo, condição para a existência da celulite, uma vez que há, também, mulheres magras com celulite.

 

Causa não plenamente conhecida

 

Há várias suposições não comprovadas da causa da celulite, mas, os fatores predisponentes parecem ser hereditários, caso, por exemplo, do sexo, da etnia, do biotipo corporal e da distribuição de gordura.

As “covinhas” da celulite ocorrem devido à saliência da gordura hipodérmica na pele. Em mulheres, o tecido adiposo da hipoderme se deposita em feixes verticais, separados por septos fibrosos perpendiculares (pontos de ancoragem da pele à faixa muscular) à superfície da pele, formando, assim, câmaras verticais. Os septos, portanto, separam as células gordurosas em grupos e são formados por fibras que ligam a pele à musculatura localizada abaixo da hipoderme.

Entre os fatores de predisposição à celulite, podem ser citados os seguintes:

 

  • Hereditariedade: o fator genético é importante.
  • Problemas circulatórios: quando o sangue não flui bem, a drenagem das toxinas fica prejudicada deixando o líquido que fica entre as células, mais viscoso.
  • Alterações hormonais: níveis de estrogênio (hormônio feminino) elevados geram disfunções no metabolismo, criando ou aumentando a celulite. A pílula anticoncepcional pode desencadear o problema, uma vez que acrescenta dose de hormônios ao corpo.
  • Estilo de vida: a alimentação inadequada (excesso de açúcares e carboidratos), o sedentarismo, a tensão emocional e o excesso de toxinas auxiliam o surgimento da celulite.

 

Tipos de celulite

 

Através de escala de classificação é possível avaliar as características clínicas da celulite, atentando para os seguintes aspectos:

> Número e profundidade de depressões.

> Aspecto das áreas elevadas da celulite.

> Presença de lesões elevadas.

> Presença de flacidez.

Na classificação das celulites, cada um destes aspectos recebe pontuação de zero a três. A soma total dos pontos mostrará se a celulite é

  • Leve (1 a 5 pontos).
  • Moderada (6 a 10 pontos).
  • Grave (11 a 15 pontos).

De acordo com a nota de cada característica é possível determinar o tratamento a ser aplicado.

 

Sintomas da celulite

 

Vários graus determinam a intensidade da celulite. Começa pelas depressões que só aparecem quando se pinça a pele com os dedos ou os músculos se contraem e vai até o aspecto acolchoado e as nodulações normalmente visíveis.

A celulite pode causar dor estando em estágio mais avançado, já que promove a compressão de terminações nervosas, comprometendo a qualidade de vida.

Casos iniciais são assintomáticos, mas, os mais adiantados, podem incluir:

> Região mais fria.

> Endurecimento, dor e sensibilidade.

> Pele com aspecto irregular.

 

 Tratamento para a celulite

 

Há a necessidade de se ter cuidado na questão do tratamento da celulite. É preciso, portanto, avaliar bem as propostas, porque, muitas vezes, os procedimentos têm altos custos desproporcionais aos resultados.

A recomendação é a de buscar ajuda de profissional (médico) dermatologista.

Além disto, dieta balanceada e bem orientada é capaz de melhorar o aspecto da celulite pela redução da gordura. Suplementos alimentares e misturas herbais (plantas medicinais) são encontrados no mercado.

Procedimentos como a drenagem linfática, radiação infravermelha, radiofrequência, ondas de choque ou ondas acústicas e ultrassom ajudam a controlar o problema.

Importante, porém, é ressaltar que nenhum tratamento para celulite e flacidez funciona se não houver mudanças nos hábitos alimentares, bem como no modo de vida.

Atentar, portanto, é preciso para a necessidade de reduzir o consumo de açúcar e de gorduras, tomar muita água (2,5 l/dia) e praticar exercícios físicos, caso dos aeróbicos, para a redução da gordura corporal, ou de musculação, para firmar a pele.

Especialistas salientam que o tratamento da celulite é bastante difícil e precisa ser realizado com a combinação de tratamentos, demandando, ao mesmo tempo, severa adesão por parte das pessoas, que precisam colocar em prática rígida mudança de hábitos alimentares, bem como de estilo de vida.

Prevenção à celulite

 

Hábitos alimentares inadequados, sedentarismo, estresse, gravidez, medicamentos como anticoncepcionais e fumo são capazes de gerarem celulite, todavia, estudiosos consideram a celulite como condição fisiológica própria de mulheres, envolvendo fatores geralmente desconhecidos. A maneira mais adequada para se prevenir de celulite é apostar em hábitos saudáveis, caso, por exemplo:

  • Beber bastante água todos os dias para melhorar a circulação sanguínea.
  • Reduzir o consumo de sódio, que causa a retenção hídrica e produz inchaço.
  • Não consumir alimentos gordurosos e nem doces, evitando os fast-foods.
  • Parar de fumar.
  • Fazer exercícios físicos para melhorar a circulação sanguínea, reduzir a gordura corporal, bem como, diminuir as medidas físicas corporais.

 

https://www.sbd.org.br/dermatologia/pele/doencas-e-problemas/celulite/53/#:~:text=Celulite%20%C3%A9%20o%20nome%20popular,em%20algumas%20%C3%A1reas%20do%20corpo.

 

Alimentos que aumentam a celulite

 

Gorduras, açúcares e álcool precisam ter pouco (ou nenhum) espaço no cardápio

Recursos como o uso de cremes, drenagem linfática, exercícios físicos e outros recomendados para prevenir a celulite podem perder o efeito se alimentação balanceada não fizer parte da rotina.

Segundo nutricionistas, o excesso de alimentos gordurosos, com alto índice glicêmico e alto teor de sódio, provoca alterações circulatórias, hormonais, imunológicas e físicas que podem causar a celulite.

Especialistas estabeleceram lista de alimentos capazes de aumentar a incidência de “furinhos” na pele (celulite). Veja!

 

  • Doces

Reduzir o consumo de açúcar é uma das maiores recomendações a quem luta contra a balança. Não deve ser diferente, igualmente, para quem quer fugir da celulite.

O açúcar em excesso não é transformado em energia pelo organismo, mas, fica armazenado na forma de gordura. Nas mulheres, a reserva de gordura tende a ficar acumulada na pele, gerando inflamações que favorecem o aparecimento da celulite. Diante deste risco, o consumo de doces deve corresponder ao máximo de 220 kcal do dia, equivalente a 50 gramas de chocolate ao leite.

 

  • Gorduras

Alimentos ricos em gordura saturada e as frituras são os principais prejudicadores (vilões) da pele saudável. Até mesmo os alimentos ricos em gorduras boas se transformam em gordura trans, gordura saturada, compostos oxidantes e compostos pró-inflamatórios quando aquecidos a altas temperaturas. Por isto, segundo orientação de nutricionistas, a ingestão deles precisa ser evitada, já que desencadeiam processos inflamatórios na pele e provocam acúmulo de gordura localizada, causando ou agravando a celulite.

Não é preciso, porém, ser radical e cortar completamente as gorduras da alimentação, uma vez que muitas delas são benéficas à saúde. São os casos, por exemplo, de óleos vegetais, sementes, castanhas e frutas como o coco, o abacate e o açaí, já que eles possuem gorduras boas e devem fazer parte de uma alimentação saudável, contudo, precisam ser consumidos com moderação.

 

  • Bebidas com gás

Refrigerante e água com gás também podem produzir celulite, porque, de acordo com estudiosos, eles favorecem o inchaço, prejudicam a circulação sanguínea e dificultam a irrigação dos tecidos, favorecendo o aparecimento do problema de pele.

  • Cafeína

Por possuírem componente diurético que leva à desidratação do organismo quando consumido em excesso, o consumo de café e chá-mate, que contêm muita cafeína, precisa ser evitado. Acontece que em corpo desidratado, a circulação sanguínea é prejudicada, levando ao aumento da celulite.

 

  • Sódio

Produtos processados, sal de cozinha, caldos prontos e molho à base de soja devem ser usados de forma controlada. O sódio em excesso ajuda a retenção de líquido, fator que influencia a formação de celulite. O ideal é não consumir mais do que 2g de sódio por dia, equivalente a uma colher de chá de sal. É do conhecimento geral que produtos industrializados contêm elevada quantia de sódio, demandando, por isto mesmo, dobrada atenção. O consumo, portanto, de embutidos, biscoitos, pães, temperos prontos, sucos e refrigerantes precisa ser controlado. De outra forma, a ingestão de água precisa ser incentivada e ampliada, uma vez que contribui para a diminuição da retenção de líquido, auxiliando todo o organismo a funcionar melhor.

 

  • Carboidratos refinados

Pelo fato de serem metabolizados de forma mais rápida no organismo, os carboidratos refinados são transformados em açúcares, que viram gordura. Por esta razão, a dica é optar pelos carboidratos complexos (grãos e versões integrais), já que eles não só evitam a celulite, mas, ainda, ajudam a combatê-la. Sempre é preciso se lembrar que os alimentos integrais possuem nutrientes que ajudam o organismo a conter inflamações, inclusive, a celulite.

 

  • Álcool

Por prejudicar a circulação sanguínea e causar retenção de líquidos, o álcool tem que ser evitado. Ocorre que, automaticamente, ele é transformado em gordura pelo fígado, resultando no acúmulo de gordura localizada e no aparecimento de celulites.

 

https://www.minhavida.com.br/beleza/materias/14808-fuja-de-sete-alimentos-que-aumentam-a-celulite

Estrias

 

Estria é atrofia tegumentar adquirida que surge quando as fibras elásticas e colágenas (responsáveis pela firmeza da pele) se rompem e formam “cicatrizes”.

Tal como as celulites, as estrias ocorrem mais em mulheres.

 

Sintomas de estrias

 

Aparecendo, inicialmente, como lesões lineares rosadas ou da cor da pele, deprimidas ou discretamente elevadas e, na fase tardia, as estrias se tornam brancas com espessura e largura variáveis. São mais frequentes nas nádegas, nas coxas, no abdome e nas costas.

A causa da lesão é desconhecida, mas, de forma em geral, as lesões aparecem após a distensão excessiva ou abrupta da pele, que desencadeia inflamação e depois gera o rompimento das fibras elásticas e colágenas.

Elas podem ocorrer em situações como:

< Crescimento muito rápido durante a puberdade.

< Aumento excessivo dos músculos por exercícios físicos exagerados.

< Colocação de expansores sob a pele ou próteses (de mamas, por exemplo).

< Gravidez, obesidade, uso prolongado de corticosteroides tópicos, orais ou injetáveis e anorexia nervosa.

 

Tratamento de estrias

 

Representando desafio, cujos resultados nem sempre são satisfatórios, o tratamento de estrias requer cuidados constantes.

O ideal é que o tratamento seja realizado logo que elas surjam, na fase em que são rosadas.

Os tratamentos conhecidos podem ser feitos de forma isolada ou em associação, mas, sempre com acompanhamento médico:

> Emprego de cremes com ácido retinoico.

< Uso de ácido glicólico.

< Utilização de vitamina C.

> Microdermoabrasão.

< Radiofrequência.

< Microagulhamento.

< Luzes.

< Laser.

 

Resultados variáveis

 

Os resultados dos tratamentos para controlar estrias são variáveis, podendo ocorrer melhora significativa ou pouca alteração.

Prevenção às estrias

 

Cuidados importantes ajudam a evitar estrias. Eles precisam, todavia, serem adotados antes dela se instalarem permanentemente. Cuidado importante, neste quadro, é controlar o ganho de peso, evitando que a pele sofra grandes distensões. O uso de cremes hidratantes, especialmente na prevenção de estrias na gestação, é prática comum, benéfica para a manutenção da qualidade da pele, mesmo que, muitas vezes, não evite o aparecimento delas.

 

https://www.sbd.org.br/dermatologia/pele/doencas-e problemas/estrias/6/#:~:text=Estria%20%C3%A9%20uma%20atrofia%20tegumentar,rompem%20e%20formam%20%E2%80%9Ccicatrizes%E2%80%9D.

Celulites e estrias podem ser evitadas com boa alimentação

 

Celulites e estrias incomodam mais as mulheres (homens, em casos raros) porque surgem em locais expostos, como coxas, nádegas, abdome e braços.

Tanto as celulites quanto as estrias aparecem logo após a gordura localizada na lista das principais preocupações estéticas femininas.

As celulites causam ondulações que deixam aspecto de pele com furos, enquanto que as estriais se apresentam sob a forma de riscos brancos ou avermelhados parecidos com cicatrizes.

Rompimento de fibras

 

As estrias aparecem quando ocorre o rompimento das fibras de colágeno que são as responsáveis pela firmeza e pela elasticidade da pele. Ao se romperem, portanto, acabam formando cicatrizes. Por isto, na fase de crescimento, por ocasião da gravidez ou quando a pessoa engorda e emagrece diversas vezes (efeito sanfona), a pele sofre estiramento rápido e não consegue se adaptar à nova forma, provocando a ruptura de fibras.

 

Alteração do tecido gorduroso da pele

 

As celulites, por sua vez, aparecem quando ocorre alteração no tecido gorduroso da pele, fato causado por toxinas não-drenadas corretamente pelo corpo e, por isto se acumulam na corrente sanguínea.

As referidas toxinas, provenientes de alimentos gordurosos, somadas a problemas circulatórios, fazem com que o sangue fique viscoso e não circule adequadamente, comprimindo células nervosas e afetando o tecido subcutâneo. Isto faz com que o organismo entenda que está ocorrendo processo inflamatório e responde produzindo colágeno para tentar conter a suposta inflamação. O problema acontece porque o excesso de colágeno, aliado à falta de circulação e ao sangue viscoso, acaba criando nódulos, gerando as ondulações. Alterações hormonais e estresse também deflagram o aparecimento do problema.

https://drauziovarella.uol.com.br/alimentacao/celulites-e-estrias-podem-ser-evitadas-com-boa-alimentacao/

 

 

Como evitar e amenizar o inchaço do corpo no verão

 

Vários cuidados precisam ser adotados na época dos dias mais quentes do ano. Isto, para evitar o inchaço do corpo, gerado, normalmente, pela retenção de líquidos ou, ainda, pelo excessivo consumo de glúten.

O glúten, (encontrado no trigo, no centeio, na cevada, no malte e na aveia) é proteína inflamatória que gera inchaço do corpo. É, portanto, bastante prejudicial ao organismo humano.

A recomendação principal é a de evitar alimentos que contenham produtos derivados destes cereais.

Há, todavia, maneiras práticas e eficientes para evitar o inchaço corporal, especialmente o oriundo da retenção de líquidos.

No presente post estão expressas informações importantes a respeito da questão e, inclusive, dicas para evitar o problema.

A propósito, sobre a retenção de líquidos por parte do corpo já veiculamos post no dia 24 de novembro passado, quando tratamos sobre como evitar a retenção de líquidos no verão.

Para aprofundar a abordagem do tema, que julgamos importante para a época presente, não podemos esquecer que o excesso de calor (normal nos dias atuais) é inimigo potencial da boa circulação sanguínea, já que faz com que as veias se dilatem, acumulando, em consequência, líquidos.

Em outras palavras é possível afirmar que temperaturas elevadas aumentam a retenção de líquidos.

A isto precisam ser acrescidos os males causados pela adesão dos componentes do glúten às paredes intestinais, fator complicador.

https://prosaudelojas.com.br/alimentos-que-aceleraram-o-metabolismo/

Cuidados alimentares

 

Atenção especial, igualmente, precisa ser dada à alimentação, evitando, especialmente, o consumo de produtos contendo glúten e muito salgados.

A época atual, portanto, é a de nos preocuparmos com a retenção hídrica no organismo.

 

Temperatura alta, inimiga perigosa

 

Altas temperaturas são inimigas da circulação sanguínea e linfática.

A retenção de líquidos apresenta sintomas desconfortáveis causados por dores nos braços, mãos, pernas e pés e, até mesmo, a sensação de ganho de peso.

Quando faz calor, a circulação de sangue fica mais lenta, ocorrendo, em consequência, maiores dificuldades para a absorção da água pelo organismo.

Por esta causa, as extremidades são as regiões do corpo mais afetadas, com os pés sendo os mais atingidos já que ficam mais distantes do coração.

 

Resfriamento do corpo

 

No calor, os vasos sanguíneos se dilatam para ajudarem o corpo a se resfriar.

Com isto, os líquidos que ficam nos vasos, saem e se alojam no espaço entre as células (intracelular), causando o inchaço.

O excesso de calor é, portanto, inimigo da perfeita circulação sanguínea, porque faz com que as veias se dilatem, causando inchaço e dor.

 

 

Razão da retenção

 

O corpo, ao detectar baixo nível de líquidos, decorrente da ingestão insuficiente de água, ou, do consumo excessivo de sódio (sal), coloca em atividade mecanismo de defesa que efetua a retenção de líquido porque a considera necessária para manter o equilíbrio.

Não são poucas as pessoas que, com frequência, afirmam terem a sensação de inchaço do corpo.

Na verdade, a retenção hídrica não só é responsável pelos inchaços, mas, também o é por eventuais quilos extras.

 

Mulheres, as mais atingidas

 

Afetando mais as mulheres, a retenção de líquidos ocorre especialmente em períodos relacionados a desequilíbrios hormonais, (dias antecedentes à menstruação, à gravidez ou à menopausa).

 

Outras causas

 

Problemas de circulação sanguínea, nutrição inadequada ou estresse são, também, fatores que causam a retenção, gerando, como consequência, ganho de peso.

 

Órgãos inchados

 

Sinais como mãos, tornozelos, lábios ou pálpebras inchados demonstram que o corpo está tentando nivelar o excesso de sódio com a retenção de líquidos.

O inchaço, a inflamação e até mesmo o aumento brusco de peso também podem mascarar (esconder) problemas circulatórios, cardíacos, hepáticos ou renais.

Má alimentação, sedentarismo, estresse ou desequilíbrios hormonais têm grande importância no aparecimento destes episódios de doenças.

https://prosaudelojas.com.br/alimentos-nocivos-a-imunidade/

Glúten, principal vilão

 

O glúten é proteína que está presente na farinha de trigo, centeio, cevada, malte e aveia. Provoca inflamações capazes de gerarem inchaço, dores articulares e indisposição.

Retirar a substância do cardápio elimina estes problemas e, ainda, ajuda na perda de peso, segundo explicam nutricionistas.

 

Dieta sem glúten evita doenças

 

Importante se torna retirar o glúten da dieta, fato que contribui para a perda rápida de peso, além, ainda, de prevenir doenças.

Vários são os benefícios da alimentação sem a substância do glúten.  Por esta razão é importante adotar receitas livres do glúten.

 

Ausência do glúten estimula o metabolismo

 

Quem sofre da intolerância ao glúten (principalmente celíacos), não podem ingerir alimentos que contêm a substância porque ela impede a absorção correta de nutrientes pelo intestino.

As pessoas com sensibilidade ao glúten precisam, portanto, evitar o consumo.

Vários são os benefícios da dieta sem a proteína (glúten). Eliminar o glúten da dieta provoca a redução do grau de inflamação do organismo. Assim, o metabolismo volta a funcionar normalmente, promovendo a diminuição da retenção de líquidos, perda drástica e rápida de peso, adequada absorção dos nutrientes pelo intestino e a prevenção de doenças não-transmissíveis, caso da obesidade e de complicações cardiovasculares, conforme esclarecem especialistas em Nutrição.

https://prosaudelojas.com.br/a-importancia-do-colageno-no-organismo/

Estimativa alarmante

 

De acordo com dados da Federação Nacional das Associações de Celíacos do Brasil, o número de portadores de doença celíaca (intolerantes ao glúten) no país é de cerca de dois milhões de pessoas.

Glúten causa complicações

 

Para muitos, o inimigo de quem quer vida saudável está no pão, no bolo, na cerveja e em outros alimentos. Trata-se do glúten, substância encontrada no trigo, no centeio, na aveia, na cevada e no malte.

Médicos e especialistas em alimentação explicam que, ao chegar ao intestino, o glúten se transforma em espécie de cola que gruda nas paredes intestinais. Com o passar do tempo, provoca saturação do aparelho digestivo, aumentando a gordura na região do abdome, dores articulares, alergias cutâneas e depressão.

 

Mudança de cardápio

 

Trata-se de problemas de saúde que surgem em decorrência do cardápio de pessoas que passaram a comer de modo excessivo alimentos ricos em glúten, caso de pães, biscoitos, macarrão e bolos.

Nutrólogos alertam para a necessidade de substituir alimentos ricos em glúten pela mandioca, pelo milho e pelo arroz.

https://prosaudelojas.com.br/segredos-do-emagrecimento-saudavel/

Reações corporais

 

O organismo responde de várias maneiras ao consumo de glúten: obesidade, síndrome de resistência à insulina, deficiência de cálcio, alergias, diarreias e doenças autoimunes.

Nutrólogos chegam a considerar o excesso de glúten como sinal de má higiene interna do corpo, já que o metabolismo emperra e favorece o surgimento de bactérias que gostam de calor e de estagnação.

Dieta sem glúten

 

Bastante utilizada por praticantes de atividades físicas, especialmente por parte de frequentadores de academia, a dieta sem glúten contribui para o emagrecimento e a redução de gordura na região abdominal.

Neste sentido, tem muita gente inserindo na alimentação, pães de aipim (mandioca) e de milho, macarrão de arroz e cookies de soja.

Dessensibilização ao glúten

 

Nutricionistas chegam até mesmo a sugerir a dessensibilização ao glúten. Trata-se de período de três meses no qual não se deve comer nenhum dos quatro cereais que contêm o glúten – trigo, centeio, cevada e aveia.

Em outras palavras, trata-se de reeducação alimentar. Comer um pãozinho, até que é permitido, mas, o excesso pode alterar todo o metabolismo, baixar a imunidade do organismo e levá-lo a doenças.

Importante, todavia, é destacar e considerar que nem todo obeso tem intolerância alimentar ao glúten.

 

Intestino sem a cola do glúten

 

Segundo especialistas da área nutricional, intestino sem glúten produz serotonina e gera alegria.

Dica importante para a pessoa ter sucesso na reeducação alimentar, que visa ao não-consumo de alimentos ricos em glúten, é a ingestão constante de frutas, já que elas, além de serem leves, são nutritivas e têm baixo nível de calorias.

Colonterapia

 

Muitas pessoas alérgicas aos efeitos do glúten estão sendo mais radicais e se submetem à colonterapia, procedimento de lavagem do intestino grosso para a limpeza geral.

Depois da colonterapia, o intestino volta a produzir o neurotransmissor da alegria, isto é, a serotonina.

Dibiose

 

Os alimentos em geral levam 18 horas da mastigação até a eliminação pelo reto. Alimento com o glúten leva 26 horas.

Consumido em excesso, o glúten vai retendo cada vez mais toxinas no organismo, promovendo a dibiose, alteração da flora normal com a fermentação e a retenção de líquidos, podendo gerar série de doenças articulares, autoimunes e, inclusive, depressão.

Doença celíaca

 

Há casos de pessoas que têm intolerância genética ao glúten. São os celíacos.

O glúten é estritamente proibido para os celíacos.

https://prosaudelojas.com.br/produtos-naturais-no-combate-a-depressao/

Problemas relacionados ao consumo de glúten

Diversidade de problemas ocorre como resultado do consumo excessivo de glúten. Acompanhe!

 

  • Intolerância alimentar: o glúten é cola que adere às paredes intestinais, bloqueando o funcionamento do intestino. Os primeiros sintomas são intolerância alimentar, desconforto abdominal, gases e retenção de líquidos.
  • Obesidade: metabolismo lento não processa devidamente os alimentos, gerando, como consequência, o acúmulo de gordura abdominal.
  • Baixa imunidade: afeta o sistema imunológico, favorecendo o surgimento de doenças autoimunes.
  • Intoxicação e enxaqueca: metabolismo estagnado dificulta a eliminação de toxinas, aumentando o risco de doenças, como, por exemplo, dores de cabeça e enxaquecas.
  • Açúcar: já que o glúten é aliado do açúcar, ele captura o cálcio, aumentando os riscos de osteoporose, cáries, ranger de dentes, insônia, hipertensão e colesterol alto.

 

http://swbrasil.org.br/noticias/gluten-vira-cola-no-intestino-e-provoca-diversas-complicacoes/

Sintomas de intolerância ao glúten

 

A intolerância ao glúten provoca sintomas intestinais como o excesso de gases (flatulência), dor no estômago, diarreia ou prisão de ventre.

Quando a intolerância é grave, pode causar doença celíaca, que provoca sintomas mais fortes e frequentes de dor abdominal e de diarreia.

Todas as faixas etárias

 

A alergia ao glúten ataca desde crianças a adultos. O fato acontece por causa da incapacidade ou da dificuldade em digerir o glúten.

 

Tratamento

 

O tratamento aos problemas causados pelo glúten é simples: retirar a proteína da dieta.

Sintomas de intolerância ao glúten

 

Conheça os principais sintomas gerados pela intolerância ao glúten:

 

  • Excesso de gases e barriga inchada após comer alimentos como pão, macarrão ou cerveja.
  • Alternância de períodos de diarreia ou prisão de ventre.
  • Tontura ou cansaço excessivo após as refeições.
  • Irritabilidade fácil.
  • Enxaquecas frequentes, principalmente após as refeições.
  • Manchas vermelhas na pele que podem coçar.
  • Dor constante nos músculos ou nas articulações.

Identificação de sintomas

 

Para facilitar o diagnóstico, importante é bem identificar os sintomas. Veja:

 

  • Desconforto abdominal

Quando há intolerância, após a ingestão de alimentos com trigo, cevada, aveia ou centeio, é comum surgirem sintomas como excesso de gases, barriga inchada, diarreia ou prisão de ventre. Além disto, as células do intestino também ficam danificadas, causando má absorção de vitaminas e de minerais.

A dor da intolerância é recorrente e, geralmente, é acompanhada por gases e alterações intestinais, sobretudo, após a ingestão de pães, bolos ou massas. A solução, portanto, é evitá-los.

Já a dor causada por gastrite, normalmente, ocorre após as refeições ou, ainda, quando se fica muito tempo sem comer.

 

  • Tontura

O glúten é capaz de provocar tonturas, confusão mental, desorientação ou sensação de cansaço após a refeição. Os sintomas, contudo, não são relacionados à intolerância, e, por isto, muitas vezes, não são percebidos.

A tontura causada pela intolerância aparece mesmo quando a pessoa está bem alimentada e descansada, não tendo relação com o excesso de atividade física ou com alterações na pressão arterial.

 

  • Alterações de humor

Em razão do mal-estar intestinal torna-se comum a ocorrência de alterações no humor, sobretudo, após as refeições, cujos sintomas são irritabilidade, ansiedade e/ou tristeza.

As alterações de humor causam, igualmente, cansaço e fadiga, mesmo após uma boa noite de sono. Isto ocorre porque o corpo está concentrado em combater a inflamação no intestino, gastando a energia que daria ânimo e disposição para o novo dia.

 

  • Enxaqueca crônica

A enxaqueca provocada pela intolerância ao glúten começa cerca de 30 a 60 minutos após a refeição. Pode se manifestar através de sintomas como visão embaçada e dor ao redor dos olhos.

As enxaquecas comuns não têm hora para começarem e, de modo em geral, estão ligadas ao consumo de café ou de álcool, não tendo, portanto, relação com alimentos ricos em farinha de trigo e/ou outros cereais do gênero.

 

  • Coceira na pele

A inflamação no intestino causada pela intolerância ao glúten é capaz de provocar ressecamento e coceira na pele, criando pequenas bolinhas vermelhas. Estes sintomas, contudo, muitas vezes também podem estar ligados à piora dos sintomas de psoríase e de lúpus.

A recomendação é, desta forma, retirar da dieta, alimentos com trigo, cevada ou centeio (bolos, pães e massas) para verificar se ocorrem melhorias na coceira, resultantes da alteração da alimentação.

  • Dores musculares

O consumo de glúten tem a capacidade de causar ou de aumentar os sintomas de dores musculares nas articulações e nos tendões (fibromialgia).

Comum, igualmente, é ocorrer inchaço, especialmente nas articulações dos dedos, dos joelhos e do quadril.

A sugestão é, por esta razão, não consumir alimentos com trigo, cevada, aveia e centeio para verificar se melhoram os sintomas de dor.

https://prosaudelojas.com.br/o-que-e-preciso-saber-sobre-o-colesterol/

  • Intolerância à lactose

Especialistas consideram como normal o fato de que a intolerância à lactose ocorra juntamente com a intolerância ao glúten. Por este motivo, pessoas que têm intolerância à lactose têm mais probabilidades de apresentarem intolerância a alimentos feitos a partir do trigo, da cevada e do centeio. Precisam, portanto, sempre estarem mais atentas aos sintomas.

O recomendado é fazer exames que confirmem o diagnóstico de intolerância, caso, por exemplo, do exame de sangue, de fezes, de urina ou da biópsia intestinal.

Há, por isto mesmo, a necessidade da exclusão da dieta dos produtos que contenham a proteína (glúten), caso da farinha, do pão, do biscoito e do bolo, para observar se os sintomas desaparecem.

Como viver com intolerância ao glúten

 

Com o diagnóstico da intolerância ao glúten em mãos é preciso retirar da dieta todos os alimentos que contenham a proteína (farinha de trigo, macarrão, pão, bolos e biscoitos).

No mercado há vários produtos especiais que não contêm a proteína, como são os casos de macarrão, pão, biscoitos e bolos feitos a partir de farinhas que são permitidas na dieta, caso da farinha de arroz, de mandioca, de milho, do fubá, da fécula de batata, da fécula de mandioca, do polvilho doce e, também, do polvilho azedo.

 

Atenção ao rótulo

 

Questão importante, tal como em outros casos quaisquer, é observar no rótulo a lista de ingredientes do alimento.

No caso específico, isto precisa ser feito para verificar se há a presença de trigo, cevada, aveia ou de centeio na composição, ou, ainda, se há resíduos de glúten, como são os casos de produtos como salsicha, quibe, flocos de cereais, almôndegas e sopas enlatadas.

Alimentos que contêm glúten

 

O consumo de alimentos que contêm glúten pode provocar inflamação e inchaço abdominal. Em razão disto, o consumo da proteína pode ser perigoso para pessoas que possuem intolerância à essência, já que ela pode causar irritação do intestino e gerar sintomas como diarreia, dor e sensação de barriga estufada.

Quem é intolerante ao glúten apresenta estes sintomas porque o organismo não consegue digerir no intestino a proteína de forma adequada em razão de alteração genética (deficiência) ou da doença celíaca.

 

Saiba identificar a intolerância ao glúten

 

Diversos alimentos contêm glúten, mas, para evitar eventuais problemas a pessoas intolerantes à proteína vegetal é possível encontrar produtos que não a contêm. Isto fica evidenciado com indicativo constante na embalagem do alimento, que informa que se trata de produto sem glúten ou glúten “free”.

 

Lista de alimentos que contêm glúten

 

Alimentos que contêm glúten são os que são produzidos com farinha de trigo, centeio, aveia ou de cevada.

  • Pão, torrada, bolacha, biscoito, bolos, macarrão, pizza, salgadinhos, cachorro-quente e salsicha.
  • Tipos de cerveja e de uísque.
  • Gérmen de trigo, triguilho, sêmola de trigo.
  • Alguns queijos.
  • Molhos: ketchup, molho branco, maionese, shoyu.
  • Temperos prontos.
  • Cereais e barrinha de cereais.
  • Xaropes e alguns medicamentos.

Recomendação fundamental

 

Importante é ler as informações nutricionais do alimento, principalmente quando a pessoa tem intolerância ao glúten.

Fazendo isto, poderá escolher alimentos que não contêm glúten na composição.

Evitando a ingestão de alimentos contendo glúten, a pessoa, por extensão, também evitará os sintomas decorrentes, caso, por exemplo, do inchaço abdominal, da sensação de barriga estufada e da diarreia.

Como seguir dieta sem glúten

 

Indicada principalmente para pessoas que possuem intolerância, a dieta sem glúten, igualmente, é recomendada para quem não possui intolerância.

Acontece que o consumo de alimentos ricos em glúten causa estufamento abdominal e, neste caso, a melhor alternativa é, justamente, diminuir, ou, então, até mesmo, evitar o consumo de alimentos que possuam a proteína na composição.

Indicação de nutricionista

 

Há que se salientar que se torna importante o fato de que a dieta sem ou com pouco glúten tem que ser indicada por profissional da área nutricionista. Obedecendo a esta recomendação será possível, portanto, a realização de avaliação geral da pessoa e de eventual atendimento às necessidades nutricionais.

 

https://www.tuasaude.com/alimentos-que-contem-gluten/

 

Alimentos sem glúten para usar na dieta

 

Alimentos sem glúten são frutas, verduras e carnes, já que eles não contêm a proteína.

Estes alimentos são, igualmente, os únicos que podem ser ingeridos por doentes celíacos, porque correm o risco de o glúten danificar as paredes do intestino e de provocar diarreia ou dores abdominais, dificultando, inclusive, a absorção de nutrientes.

O glúten tem a capacidade de causar inchaço e desconforto abdominal.

 

Alimentos sem glúten

 

Entre outros, alguns dos alimentos que não têm glúten:

 

> Frutas.

> Legumes e verduras.

> Carnes e peixes de escama.

> Farinha de arroz, mandioca, amêndoa, milho, feijão, ervilha, soja, inhame.

> Arroz, milho, amaranto, araruta, trigo sarraceno, quinoa.

> Amido de milho (maisena).

> Tapioca.

> Fécula de batata.

> Polenta.

> Sal, açúcar, chocolate em pó, cacau.

> Gelatina.

> Óleos, azeite, manteiga.

 

Existem outros alimentos sem glúten que são encontrados em lojas de produtos naturais, como pão e macarrão, identificados com rótulo de alimento sem glúten ou glúten “free”.

 

https://nutritotal.com.br/publico-geral/material/voce-sabe-quais-alimentos-possuem-gluten/

 

Lei obriga informar se há glúten no alimento

 

De acordo com a lei nº 10.674, de 2003, todos os alimentos comercializados no Brasil devem informar se há glúten na composição.

O glúten é combinação de proteínas presentes em cereais, grãos e massas. É formado pelo composto das proteínas gliadina e a glutenina e é responsável por dar elasticidade à massa.

 

Crescimento durante a fermentação

 

Quando o glúten entra em contato com o oxigênio, cria camada que impede a saída do gás carbônico durante a fermentação. O gás carbônico é essencial ao desenvolvimento de alimentos, por isto, receitas que levam glúten crescem durante a fermentação.

Doença celíaca

 

Não são todas as pessoas que podem consumir glúten. Existem doenças que atrapalham a digestão do composto de proteínas. A mais comum delas é a doença celíaca.

A patologia é reação imunológica que é desencadeada pelo consumo de glúten.

Doença autoimune, sem cura, ela causa a inflamação da mucosa do intestino. Por esta razão, o paciente deve eliminar completamente da dieta, alimentos à base de grãos, como, por exemplo, o trigo, centeio, aveia, cevada e malte, entre outros.

 

Sintomas da doença celíaca

 

Os principais sintomas da doença são anemia, cólica, diarreia, dores abdominais, perda de peso e prisão de ventre.

Além de sintomas gastrointestinais, os celíacos, ainda, também podem sofrer com alterações psicológicas.

Se não tratada, a doença pode gerar complicações mais graves, como desnutrição, deficiências de vitaminas e minerais, anemia, além de câncer de estômago ou de intestino.

É fundamental, portanto, para os celíacos saberem quais alimentos contêm glúten.

 

Intolerância ao glúten x doença celíaca

 

Comum é confundir a intolerância ao glúten com a doença celíaca, mas, são, na verdade, distúrbios diferentes.

A intolerância ao glúten é diagnosticada após a doença celíaca ser descartada.

A patologia é caracterizada pela dificuldade ou pela incapacidade de digerir alimentos formados pelo composto das proteínas gliadina e a glutenina.

Ela é, portanto, condição crônica que pode se manifestar em qualquer idade.

Por não ter cura, o tratamento indicado é, pois, a exclusão da dieta de todos os alimentos com glúten.

Como não causa a inflamação no intestino, a intolerância não é considerada tão grave quanto à doença celíaca, todavia, caso não seja tratada, pode afetar bastante a rotina de quem sofre com a patologia.

Alimentos que precisam ser evitados

 

Alimentos que podem conter glúten na composição.

A lista é da Associação de Celíacos do Brasil.

 

Farinha, cereais e subprodutos.

Aveia, flocos e farinha.

Centeio, cevada (farinha), malte.

Trigo, farinha, semolina, gérmen e farelo.

 

Bebidas.

Bebidas com malte, café com cevada, cerveja, gin, ginger-ale, uísque, vodca.

 

Leite e derivados.

Achocolatados com malte ou extrato de malte, queijos com cereais, queijos fundidos.

 

Carnes, derivados e proteína vegetal.

Embutidos (salames e salsichas), proteína vegetal hidrolisada.

Outros alimentos.

Açúcares, doces e condimentos podem conter glúten. Cada alimento precisa, portanto, conter o rótulo informando sobre a presença ou não de glúten.

 

Retenção de líquidos contribui para o inchaço

 

Comum nas mulheres, a retenção de líquidos contribui para a barriga inchada e a celulite. As alterações hormonais, o sedentarismo, o consumo de sal e o consumo de produtos industrializados em excesso estão, por esta razão, entre as causas mais comuns do problema.

Tratamento para a retenção de líquidos

 

O tratamento para combater o excesso de líquidos pode ser feito de forma natural ao ingerir mais água, chás diuréticos e praticar exercícios.

Tomar remédios diuréticos e recorrer à drenagem linfática são, também, outras opções para complementar o tratamento.

Quando a retenção é grave, todavia, pode ser necessário tomar remédios. É o caso, por exemplo, de quando ela é causada por doenças renais ou cardíacas.

O acúmulo de líquidos no corpo causa inchaço facilmente percebido pelo aumento do volume abdominal, do rosto, e, principalmente, das pernas, dos tornozelos e dos pés.

 

Recomendações primordiais

 

Para combater a retenção hídrica é recomendado tomar chás, fazer exercícios, cuidar da alimentação e adotar cuidados, mas, se tudo isto não resolver, em último caso, médico pode indicar o uso de remédios diuréticos.

 

  • Tomar chás diuréticos

Os chás diuréticos representam complemento para emagrecer mais rápido. Todos os chás têm efeito diurético, uma vez que quanto mais água a pessoa ingere, mais urina ela produzirá e, como ela contém toxinas, expelirá, também, o excesso de líquidos do corpo.

Algumas plantas, contudo, aumentam o efeito diurético dos chás, como acontece com os chás de cavalinha, hibisco, canela com gengibre, chá verde, ginkgo biloba, salsinha, centelha asiática e castanha da índia.

 

  • Fazer exercícios

Praticar atividade física, igualmente, é forma natural de desinchar o corpo, contribuindo, inclusive, para o emagrecimento.

A contração de grandes grupos musculares (braços, pernas e glúteos) força a eliminação do excesso de líquidos, via urina.

Exercícios indicados para este caso são, por exemplo, a caminhada, a corrida, o andar de bicicleta ou saltar corda.

 

  • Orientações gerais

Para acabar com a retenção de líquidos no corpo, alguns cuidados, portanto, precisam ser observados. Acompanhe!

< Beber água ou chá. Cerca de 2,5 litros por dia.

< Substituir o sal. Preparar ou temperar os alimentos com ervas aromáticas como, por exemplo, salsinha ou orégano.

< Ampliar o consumo de alimentos diuréticos, caso, por exemplo, da melancia, do pepino ou do tomate.

< Evitar os alimentos enlatados, embutidos ou, outros, carregados de sal.

< Evitar ficar muito tempo de pé, sentado ou com as pernas cruzadas.

< Comer alimentos ricos em água, como rabanete, nabo, couve-flor, melancia, morango, melão, abacaxi, maçã e cenoura.

< Consumir alimentos como folhas de beterraba cozida, abacate, iogurte desnatado, suco de laranja, ou banana, já que são alimentos ricos em potássio, que ajuda a expelir o sal do organismo.

< Colocar as pernas para o alto ao final do dia.

< Espremer limão em litro de água para tomar durante o dia, sem açúcar.

 

  • Drenagem linfática

Trata-se de excelente estratégia para eliminar o excesso de líquidos do corpo. A drenagem linfática pode ser feita de forma manual, numa espécie de massagem suave e com movimentos bem marcados. Também pode, igualmente, ser feita com equipamento eletrônico próprio, drenagem linfática mecânica, conhecida como pressoterapia.

A drenagem linfática, portanto, também é complemento ao tratamento contra a celulite.

 

  • Remédios diuréticos

Para controlar e/ou evitar a retenção de líquidos também podem ser usados medicamentos diuréticos, mas, eles só devem ser tomados quando forem prescritos por médico.

 

https://www.tuasaude.com/retencao-de-liquidos-o-que-fazer/

 

Diferença entre perder peso e emagrecer

 

Perder peso não é a mesma coisa que emagrecer.

Há diferença entre perder peso e emagrecer.

A pessoa pode, não necessariamente, perder peso, mas, pode, sim, ficar mais magra.

É possível emagrecer por reduzir gordura, mas, também, por ganhar massa muscular ou, então, ainda, pela junção das duas coisas.

 

Perda de peso saudável

 

Perder peso é estar mais leve, mas, isto pode ocorrer por perder massa magra, o que não é bom.

Massa muscular se refere unicamente aos músculos; enquanto que massa magra é o conjunto de músculos, órgãos vitais, ossos e líquidos corporais.

O percentual de gordura faz parte de tudo, menos a massa magra. Maléfico à saúde, no entanto, é o excesso de gordura corporal.

Emagrecimento saudável

 

O emagrecimento de forma saudável deve resultar como consequência da união da prática de atividade física com a alimentação adequada.

Quando ocorre a perda de peso acompanhada da redução de massa magra, acontece, ao mesmo tempo, a redução do metabolismo, tornando mais difícil o próprio emagrecimento e a manutenção dele em longo prazo.

Perda de massa magra

 

A perda da massa magra é resultado normal do processo natural do envelhecimento, por questões fisiológicas.

De igual maneira, a perda da massa magra também acontece como consequência de alimentação inadequada, fato bastante desfavorável à boa saúde.

 

Músculo x gordura

 

Músculo e gordura têm o mesmo peso. O que os diferencia é o volume, ou seja, a gordura ocupa espaço muito maior do que o músculo.

Quando se tem, no entanto, alimentação equilibrada e prática de atividade física, o peso pode até aumentar. Isto acontece porque o músculo pesa e, como o músculo ocupa menos espaço do que a gordura, o tamanho da pessoa torna a ser menor.

O fato de se ter porcentagem de massa magra faz com que a pessoa seja mais magra, tendo, ainda, maior chance de perder gordura, já que os músculos consomem calorias a todo o tempo, inclusive, quando a pessoa está dormindo.

 

Indicativo de emagrecimento

 

Quando as roupas vestem de forma diferente, fácil, sem apertos, significa que a pessoa emagreceu, ou seja, diminuiu gordura.

 

 

Nível equilibrado

 

Percentual de gordura muito abaixo do necessário, por sua vez, não é indicativo de saúde, pois, pelo contrário, revela situação prejudicial.

Muito cuidado, portanto, já que se a pessoa pratica atividades físicas diariamente, mas a alimentação não está adequada, ela não alcançará os objetivos.

Em outras palavras, isto que dizer, portanto, que deve haver a associação da realização de exercícios físicos com a alimentação adequada.

Em ambas as situações, tanto a prática de exercícios quanto na definição de alimentação equilibrada, deve haver a orientação de profissionais, para que sejam alcançados os resultados adequados.

 

Avaliação do percentual de gordura corporal

 

Para constatar que está ocorrendo, realmente, o emagrecendo ou, então, se está acontecendo apenas a perda de peso, é fundamental e extremamente importante avaliar a porcentagem de gordura corporal.

Avaliação específica e correta da porcentagem de gordura, bem como da massa magra, precisa ser feita por nutricionista ou por educador físico.

 

http://g1.globo.com/sp/presidente-prudente-regiao/blog/nutricao-pratica/post/perder-peso-x-emagrecer/

Perder peso não é a mesma coisa de emagrecer

 

Se a pessoa, mesmo sendo dedicada nos exercícios físicos e seguir dieta saudável, mas não consegue emagrecer, então, é preciso atentar para o fato de que perder peso não é a mesma coisa que emagrecer.

  • Perder peso é diminuir o nível do valor numérico da massa corporal total.
  • Emagrecer é reduzir o percentual de gordura do corpo.

Composição do corpo humano

Basicamente, três tipos de tecidos compõem o organismo humano, a saber:

< Massa de gordura.

< Massa livre de gordura (massa muscular e óssea, cartilagens, ligamentos e tendões).

< Fluídos extras e intracelulares.

Trata-se de diferença importante, pois, a pessoa que reduz o peso sem fazer exercícios físicos, acaba perdendo massa muscular e mantém tecido adiposo (gordo).

A massa muscular tem densidade maior do que a gordura e, por isto, ocupa menos espaço no corpo.

Diante deste quadro, muitas vezes a pessoa pode reduzir a massa de gordura e, ainda assim, não perceber reduções significativas no peso.

Balança nem sempre é o melhor método de avaliação

 

É em função, exatamente, desta situação que se torna duvidoso acompanhar a redução do peso apenas pelo número indicado na balança, já que não se trata do melhor método para a avaliação do sucesso do tratamento.

O ganho de massa muscular pode, desta forma, mascarar a perda de quilos em excesso.

A realização de exames de composição corporal, como a bioimpedância, por exemplo, representa excelente forma de medir a evolução do emagrecimento.

 

 

 Importância da prática de exercícios físicos

 

Além de ter grande importância a iniciativa de reduzir o peso, quem faz isto praticando atividades físicas tem o ganho de benefícios adicionais. O corpo fica, com isto, mais preparado para as tarefas diárias, tem mais energia, força e disposição, além, é claro, do fato de a imagem corporal (silhueta) se apresentar de forma melhor.

 

 Dicas para emagrecer e não perder peso

 

Profissionais de Educação Física elencaram recomendações importantes para quem deseja colocar o corpo em movimento para emagrecer e não somente perder peso.

Veja!

  • Escolher atividade física que goste de fazer, porque isto ajuda na motivação.
  • Montar programação para realizar exercícios (se possível) nos mesmos horários, já que ajuda a criar rotina.
  • Convidar amigo/a para acompanhá-lo/a porque vai contribuir para manter a motivação.
  • Manter a regularidade na prática de atividades físicas, uma vez que quem se exercita sem frequência corre o risco de sofrer lesões mais graves.
  • Estabelecer metas realistas, sem, no entanto, esperar resultados imediatos, já que o comportamento imediatista é uma das principais causas de frustração, gerando a desistência da prática dos exercícios.
  • Tomar cuidado com as dietas da moda (“milagreiras”), tendo, sempre, o acompanhamento de um/a nutricionista.
  • Valer-se sempre da orientação e do acompanhamento de profissional de Educação Física porque ajuda a fazer os exercícios da melhor maneira, reduzindo, ao mesmo tempo, o risco de eventuais lesões.

 

Diferença entre perder peso e emagrecer

 

Os quilinhos a mais que são registrados pela balança incomodam homens e mulheres mundo afora, independentemente dos momentos da vida.

O bombardeio diário de imagens e de informações sobre padrões físicos causam muito desconforto a quem está acima do peso considerado ideal.

A esta enxurrada maléfica ainda é preciso acrescentar o fato de que não faltam dicas para perder peso de forma acelerada, mas que, infelizmente, nem sempre produzem os resultados anunciados e esperados.

Quando a pessoa começa nova dieta fica ansiosa para ver os dígitos diminuírem na balança, mas, nem sempre o fato acontece como o desejado.

Diminuição de quilos do corpo

 

É preciso lembrar que a perda de peso é a diminuição de quilos do corpo. A diminuição não indica, necessariamente, que houve emagrecimento, uma vez que o organismo é composto por ossos, órgãos, músculos, gordura, pele e água.

 

Redução de peso

 

A redução de peso, portanto, pode indicar que o corpo perdeu tanto gordura quanto líquidos ou massa muscular.

 

Redução de medidas x perda de peso

 

O processo de emagrecimento, por sua vez, indica exclusivamente que o corpo diminuiu em percentual de gordura.

A diminuição pode acontecer mesmo que a pessoa não veja diferença nos números da balança. Isto ocorre porque um quilo de gordura ocupa mais espaço no corpo do que um quilo de músculo.

Por esta razão, então, durante o processo de emagrecimento é normal que ocorra mais a redução de medidas do que a perda de peso.

Emagrecer e perder peso simultaneamente

 

Há pessoas com sobrepeso ou obesidade que perdem peso e emagrecem ao mesmo tempo quando seguem tratamento de reeducação alimentar aliado à prática de exercícios físicos, especialmente, os aeróbicos.

Trata-se de redução casada de peso que acontece por conta do excesso de gordura no organismo. Quanto maior for o índice de massa corporal (IMC) maiores são a perda de peso e o emagrecimento.

https://prosaudelojas.com.br/alimentacao-errada-causa-obesidade-infantil-doencas-e-morte/

Tipos de exercícios físicos

 

Não apenas os exercícios aeróbicos são indicados para a perda de peso. Eles são excelentes, contudo, para a questão porque aumentam a oxigenação do sangue, fazendo com que o organismo “queime” mais calorias.

Os exercícios de fortalecimento e de aumento de massa muscular, por sua vez, são os responsáveis por transformarem a gordura do corpo em densidade muscular.

Quem, pois, pretende emagrecer e, ainda, diminuir os números na balança, deve combinar alimentação rica, principalmente, em fibras e proteínas, com a prática de exercícios aeróbicos e de fortalecimento muscular para alcançar melhores resultados.

 

https://www.cellerafarma.com.br/dicas-de-nutricao/a-diferenca-entre-perder-peso-e-emagrecer/

 

Impacto no organismo

 

Não é difícil encontrar pessoas que seguem dieta rígida e praticam atividades físicas, mas, que não conseguem compreender por que os números na balança não se alteram para baixo.

O fato acontece porque muitas pessoas não entendem que perder peso e emagrecer, embora sejam constantemente confundidos como sendo a mesma coisa, não são, efetivamente, a mesma coisa.

Na verdade, possuem diferenças não somente no significado, mas, também no impacto no corpo, que, igualmente, muda.

Perder peso não quer dizer que a pessoa emagreceu (perdeu gordura), mas, porque perdeu peso, ou seja, pode ter perdido apenas massa magra e mantido a quantidade de gordura, explicam nutricionistas.

 

Mudança na composição corporal

 

O ato de emagrecer está diretamente relacionado à quantidade de gordura corporal eliminada. Emagrecimento é a mudança da composição corporal, quando se mantém ou se aumenta a quantidade de massa magra e diminui, em contrapartida, a quantidade de gordura corporal.

 

 Como saber se é preciso emagrecer ou perder peso?

 

A melhor maneira de saber se a pessoa necessita de emagrecimento ou do aumento da massa magra é fazer avaliação da composição corporal com educador físico ou nutricionista.

 

 Percentual maior de emagrecimento

 

Geralmente, a busca pelo emagrecimento é maior do que a do aumento de massa magra, uma vez que os objetivos costumam ser mais de estética ou, ainda, da melhoria da saúde.

A decisão (resposta) sobre o que é melhor para o indivíduo precisa sempre ser dada por profissional, baseada em avaliação da composição corporal, podendo, com isto, prestar orientação mais apropriada.

O processo da perda de peso, de modo em geral, é indicado para atletas, caso de lutadores, por exemplo, que precisam atingir determinado peso definido pela confederação para lutar em categoria específica.

Cuidado com as expectativas

 

Uma pessoa pode emagrecer sem perder peso e pode, também, perder peso sem emagrecer.

O ideal, todavia, é não colocar todas as expectativas na balança, já que a recomendação é dar mais importância à composição corporal.

 

Sem segredo

 

Perder gordura é mais indicado do que perder peso, uma vez que o excesso de gordura é prejudicial à saúde.

Emagrecer de forma saudável não tem segredo: é associar atividades físicas com boa alimentação.

 

 Ilusão perigosa

 

O fato de passar muitas horas sem comer e não realizar exercícios ou, então, praticar atividade física e comer pouco, é prejudicial à saúde.

A principal fonte de energia dos exercícios deve ser a alimentação. De nada adianta emagrecer e não se manter saudável.

 

https://greenlifeacademias.com.br/perder-peso-x-emagrecer-qual-e-a-diferenca/

 

Sem registro na balança

 

Emagrecer é perda de gordura corporal e o ganho de massa muscular, mas, isto, a balança não registra.

Emagrecer corretamente é perder o mínimo de massa magra possível.

 

Importância da avaliação física

 

O ideal é fazer avaliação física com profissional para verificar o percentual de gordura e o estado físico antes de se preocupar com o fato de que o peso aumentou e iniciar atividade física.

O ideal é focar no ganho de massa muscular, na redução de medidas e em formas de acelerar o metabolismo do que, simplesmente, atentar para os números da balança.

https://prosaudelojas.com.br/alimentos-que-aceleraram-o-metabolismo/

Funções primordiais

 

A prática de exercícios físicos e a reeducação alimentar são as melhores maneiras de se emagrecer. Juntas, elas aceleram a transformação das calorias dos alimentos na energia necessária para realizar as tarefas do corpo, como, por exemplo, respirar, bombear oxigênio aos músculos, etc., gerando a “queima” de gordura. Quanto mais músculos houver, maior é o trabalho corporal, maior é a “queima” de gordura e mais rápido será o metabolismo.

 

Dicas para emagrecer e ganhar massa magra

 

Se o objetivo é emagrecer ou ganhar massa magra, profissionais recomendam colocar em prática dicas para acelerar o metabolismo.

Acompanhe!

  • Consultar profissional para avaliação e orientação antes de iniciar atividade física.
  • Fazer algum tipo de musculação, já que a prática dela promove a “queima” calórica alta e o aumento do tecido muscular, acelerando o metabolismo.
  • Beber muita água, porque além de atuar no transporte de vitaminas e minerais, ela acelera o metabolismo.
  • Consumir proteínas, pois, alimentos ricos em proteínas são mais difíceis de serem digeridos do que carboidratos e gorduras. A digestão de proteínas, portanto, consome mais calorias, e, ainda, aumenta o metabolismo.
  • Fazer o desjejum e não ficar muito tempo sem comer. Pular refeições faz o corpo “economizar” energia, dificultando a perda de gordura. Fracionar as refeições, além de fazer com que o corpo trabalhe mais, evita exageros alimentares.
  • Controlar o estresse e a ansiedade porque eles fazem com que o corpo gere altos níveis de cortisol, hormônio que contribui para o acúmulo de gordura abdominal e, ainda, aumenta a fome.
  • Dormir bastante, já que dormir pouco descontrola a produção de cortisol, hormônio que favorece o acúmulo de gordura abdominal. O ideal é dormir de seis a oito horas por noite.

 

https://www.conquistesuavida.com.br/noticia/entenda-as-diferencas-entre-perder-peso-e-emagrecer_a1560/1

 

Segredo está na mente

 

Muitas pessoas perdem alguns quilos temporariamente, mas não emagrecem de fato. O segredo para o emagrecimento, segundo especialistas, está na mente das pessoas.

O cérebro precisa entender que comer é necessidade fisiológica e que não se deve “afogar as mágoas e os sentimentos” na comida.

Após atingir o peso desejado, com alimentação balanceada e exercícios físicos, o desafio é encontrar o equilíbrio.

O alimento não deve ser o protagonista em todas as ocasiões, por isto, antes de comer um doce ou algo bem calórico é preciso se perguntar se, realmente, precisa mesmo disto naquele momento.

É evidente que não se deve privar totalmente dos doces, mas, é preciso consumi-los de forma consciente e não prejudicial.

 

Perder peso e não emagrecer

 

Alguns sinais servem para alertar sobre o fato de que houve a perda de peso, sem, no entanto, ter havido emagrecimento.

Leia!

 

  • Continuar escravo da balança

A pessoa que aderiu a uma dieta restritiva costuma se pesar várias vezes ao dia para ver se o esforço está valendo à pena. Isto, muitas vezes, atrapalha, pois as balanças podem variar. Além do mais, existem outras maneiras de verificar se a dieta está fazendo efeito.

Quando a pessoa atinge o processo de emagrecimento definitivo, ou seja, quando a mente dela entende que não precisa comer muito para sobreviver, e, sobretudo, quando percebe que não é necessário ficar neurótico com o peso, a prática de ser escrava da balança é abandonada.

 

  • Viver focado nas “tentações” à mesa

Não raras vezes é comum encontrar pessoas que até perdem peso, mas, depois de um tempo, recuperam tudo facilmente (efeito sanfona).

O foco principal deve ser o fato de dar preferência a alimentos como frutas, legumes, saladas e etc. O restante pode ser comido de vez em quando.

O indivíduo nunca se deve sentir culpado por comer algo, porque as células irão entender como algo negativo, engordando facilmente.

 

Hábitos ruins continuam

 

Aquilo que é feito com frequência, em longo prazo, se torna hábito. Quando a pessoa está obesa, provavelmente estava levando vida cheia de hábitos alimentares inadequados, que fizeram com que ela ganhasse peso.

No momento, contudo, em que dieta balanceada é inserida na rotina desta pessoa, o corpo, com certeza, vai demorar um tempo para entender a mudança. Até mesmo o cérebro, em alguns casos, não entende que algo realmente mudou.

Eliminar hábitos ruins é passo importante para a obtenção e a manutenção da boa saúde. Hábitos prejudiciais como, por exemplo, jantar carboidratos simples todos os dias, tomar refrigerante em todas as refeições, comer chocolate todas as tardes, entre outros costumes mais, precisam ser evitados.

 

Emagrecer de verdade

 

Para emagrecer de verdade o mais indicado é mudar a mente e os hábitos, pois, fazendo isto, é possível eliminar gordura sem prejudicar a massa magra do corpo.

Para que isto efetivamente aconteça, contudo, é preciso ter muita disciplina, determinação e força, além, é claro, de “reprogramar” o cérebro, mudando totalmente a relação com a comida.

 

Rotina de exercícios físicos

 

Mesmo que o foco principal do emagrecimento definitivo esteja na maneira de pensar e no jeito que se encara a alimentação, manter a prática de exercícios frequentes é de extrema importância.

O fato é importante porque além de intensificar o processo na hora de perder peso, os exercícios físicos proporcionam saúde, sensação de bem-estar e satisfação.

Quando a pessoa pratica algum exercício, pode ser dança, musculação, corrida, natação, caminhada, andar de bicicleta, entre outros, libera hormônios que são capazes de regular as emoções, além, ainda, de ajudarem a diminuição de dores.

É preciso abandonar o sedentarismo e colocar no seu lugar os exercícios físicos, para o bem da saúde física e mental.

 

https://www.ibahia.com/fitness/detalhe/noticia/especialista-explica-a-diferenca-entre-perder-peso-e-emagrecer/

Progressão geométrica

Não são poucas as pessoas que acabam se assustando ao verem os números da balança subindo quase que em uma progressão geométrica.

O primeiro pensamento que surge na cabeça, praticamente por unanimidade, é a de que a pessoa está gorda e que precisa perder pelo menos uns 10 quilos.

Algumas pessoas se matriculam em academia e partem para a reeducação alimentar, mas, após alguns poucos meses de projeto, ao subirem na balança, percebem, muitas vezes, que estão com o mesmo peso de quando iniciaram as atividades.

Pronto. Naquele momento, muitos se desesperam e querem desistir de tudo.

Ganhar peso é mais fácil do que perder

 

Ao iniciar as atividades físicas, seja na academia ou com o personal trainer, a pessoa precisa fazer avaliação física, e, a partir das atividades, a cada três meses fazer uma reavaliação para ver os resultados.

Ao fazer assim, será possível descobrir que está ganhando músculo, perdendo gordura e, portanto, está emagrecendo.

É preciso perseverar para seguir em frente e, aos poucos, alcançar resultados positivos, que, evidentemente, não aparecem de uma hora para a outra, afinal, engordar é bem mais fácil do que emagrecer.

União de esforços e medidas

 

Outro detalhe: fazer atividade física sem adotar reeducação alimentar vai adiantar muito pouco ou quase nada, porque para alcançar sucesso no projeto é preciso fazer as duas coisas, simultaneamente.

https://prosaudelojas.com.br/produtos-naturais-no-combate-a-depressao/

Múltiplas opções

 

Quem se decide a seguir programa de emagrecimento, pode emagrecer e perder peso, emagrecer e ganhar peso, emagrecer e manter o peso, engordar e perder peso e, na pior das hipóteses, engordar e ganhar peso.

Por isto é essencial contar com o acompanhamento de profissional da área.

Para muita gente é comum pensar, especialmente quando estão de dieta, que emagrecer e perder peso são sinônimos, são a mesma coisa; entretanto, não são: há diferença.

Basicamente, quando se refere à perda de peso, significa que o número na balança diminuiu. Emagrecer, todavia, não se resume apenas a isto.

 

Emagrecer e perder peso são aspectos similares, porém, diferentes.

 

Como emagrecer se entende o fato de reduzir o índice de gordura corporal, ou seja, emagrecer é sinônimo de perder gordura. A perda, no entanto, não implica, necessariamente, na redução do peso.

É possível ocorrer a perda de gordura sem que haja a perda de peso. O cenário é comum, por exemplo, quando se perde gordura, mas, ao mesmo tempo, acontece o ganho de massa magra (massa muscular).

Assim, emagrecer é perder gordura corporal e ganhar massa muscular, mas, isto, contudo, a balança não registra.

Perder peso significa que o peso corporal diminuiu, fato que pode resultar da perda de gordura, ou, não.

 

 

 

Razões para a diminuição de peso

 

Existem várias causas capazes de diminuir o peso do corpo.

  • O corpo desinchou ou parou de reter líquido.
  • O intestino estava constipado, mas não está mais.
  • Houve menor ingestão de comida.
  • Aconteceu perda muscular.

O ideal é focar no ganho de massa muscular, na redução de medidas e em formas de acelerar o metabolismo.

Para diminuir a taxa de gordura é preciso criar deficit calórico, isto é, consumir menos calorias do que a energia que é “queimada” em repouso e durante as atividades físicas.

Cuidado com o corte excessivo de calorias

 

Cortar calorias demais de uma só vez vai, certamente, prejudicar os esforços de perda de peso ou de ganho de massa muscular.

Especialistas alertam para o fato de que a restrição excessiva de calorias deixa o corpo com energia limitada para realizar um treino, por exemplo, além de retardar perigosamente o metabolismo.

É preciso cuidar com mudanças drásticas na ingestão de calorias, já que são elas que fazem o organismo compensar metabolicamente para defender o peso corporal inicial. O corpo, portanto, vai diminuir a quantidade de energia “queimada” para conservar calorias, evitando, com isto, o emagrecimento.

 

https://cuidai.com.br/emagrecer-perder-peso-diferenca/

 

 

A suplementação alimentar no auxílio ao emagrecimento

 

 

Emagrecer não é tarefa impossível e, neste particular, a suplementação alimentar auxilia o emagrecimento

Com rotina disciplinada de exercícios físicos, dieta certa e o uso de suplementos adequados há a possibilidade de gerar a perda de gorduras localizadas sem grandes complicações.

A suplementação alimentar é forte aliada ao processo de emagrecimento físico.

 

O que são suplementos alimentares

 

Os suplementos alimentares são preparações destinadas a complementarem a dieta e a fornecerem nutrientes como vitaminas, minerais, fibras, ácidos graxos ou aminoácidos para suprirem eventual falta no organismo.

Cuidado, muito cuidado!

 

Há, no entanto, suplementos alimentares que prometem aumentar músculos, dar mais energia e até eliminar a gordura extra de maneira rápida.

Por esta razão, muitas pessoas utilizam estes produtos acreditando que vão alcançar imediatamente os objetivos, como aumentar o desempenho em treinos, obter melhores resultados ou, até, emagrecer de forma bem rápida.

Segundo especialistas, contudo, agir desta forma é erro grave, já que a suplementação alimentar só causa efeitos em longo prazo e não de imediato.

O consumo de suplementos precisa ter a prescrição e o acompanhamento de profissional.

 

Recomendação importante

 

 

Pelo motivo exposto, é preciso, antes de usar qualquer tipo de suplemento alimentar, analisar cada tipo de produto e saber o modo correto para ser usado.

E, de semelhante maneira, definir qual é o suplemento adequado a ser utilizado, de acordo com o objetivo a ser pretendido.

 

Suplementos alimentares para emagrecer

 

Existem suplementos que ajudam a acelerar o metabolismo do corpo, auxiliando o processo de perda de peso.

Isto ocorre em razão da quantidade de pó de guaraná ou de cafeína que contêm. Importante, no entanto, se torna lembrar que qualquer destas substâncias precisa ser consumida com moderação.

Se consumidas em excesso podem gerar doenças graves, conforme alertam nutricionistas.

A suplementação alimentar ajuda a emagrecer com saúde.

 

 

Carga de exercícios

 

Mesmo que seja recomendado o uso adicional de suplementos, ainda assim, o tempo que cada pessoa leva para perder peso depende da alimentação e da carga de exercícios físicos.

 

Promessa ilusória

 

Existem vários tipos de suplementos alimentares para emagrecer que prometem perda de peso, porém, poucos são eficazes. Por isto, é necessário ter muita atenção quando for decidido usar produto do gênero.

Isto decorre do fato de que muitos dos suplementos NÃO foram submetidos a testes clínicos para determinar se eles realmente têm algum benefício.

Sendo assim, o usuário de suplemento deste tipo não deve esperar obter grandes resultados.

O melhor, realmente, é ter cuidado na hora de comprar o suplemento alimentar, atentando para o fato de o mesmo produzir, efetivamente, os benefícios anunciados.

Além disto, paralelamente ao uso de suplemento, o recomendado é focar esforços nos treinos e na reeducação alimentar para atingir os objetivos.

 

Suplementos alimentares para ganhar massa muscular

 

Se a finalidade do consumo de suplementos é fortalecer músculos, há a recomendação da associação a exercícios físicos e a dieta balanceada porque não existe milagre.

O ideal é cuidar da alimentação e intensificar a prática de exercícios físicos específicos, paralelamente ao consumo de suplementos.

Suplemento alimentar sozinho, sem a prática de atividade física e da adoção de alimentação adequada, não vai gerar “ganho” de massa muscular.

Não se pode esquecer, também, que o treinamento é questão primordial para aumentar músculos.

Alimentação adequada para o pré e pós-treino, igualmente, tem importância capital para atingir os objetivos.

A suplementação alimentar tem grande importância no auxílio ao emagrecimento.

Consumo de proteína

 

Consumir suplementos de proteína ajuda, mas, só quando existe a deficiência do nutriente no organismo, ou, quando não é possível adequar a alimentação.

Importante, entretanto, é atentar para o fato de que só nutricionista, ou outro especialista do ramo, pode fazer este diagnóstico.

Os suplementos se tornam eficientes quando não se consegue consumir a quantidade necessária de proteínas no dia-a-dia, seja por restrições alimentares, seja pela falta de tempo. Neste caso, suplementos como o Whey Protein apresentam resultados positivos, de acordo com informação de especialistas.

 

Suplemento vitamínico mineral

 

Polivitamínicos são aliados importantes da boa saúde e do perfeito funcionamento do sistema imunológico.

As vitaminas não podem faltar na dieta, mas, segundo o IBGE, 98% da população brasileira não ingerem a quantidade ideal de vitaminas por dia, enquanto que 92% não comem frutas com frequência.

Outro dado alarmante, divulgado pela Organização Mundial da Saúde, é o de que mais de 190 milhões de pessoas no mundo sofrem com carência de vitamina A, o que pode causar cegueira, baixa imunidade e a falta de proteção contra radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento das células.

A suplementação alimentar tem importante  o auxílio ao emagrecimento.

 

“Fome oculta”

 

Bastante comum é pensar que a dieta que está sendo seguida é totalmente adequada ao organismo. Existe, entretanto, a chamada “fome oculta”, síndrome que atinge muitas pessoas.

É caracterizada por deficiência nutricional que não apresenta sintomas claros, mas que, em longo prazo, pode causar consequências graves à saúde.

Para evitar esta carência, é possível recorrer ao uso de suplementos de vitaminas e de minerais, já que elas oferecem complementação à série de nutrientes, conforme recomendam nutrólogos.

 

Utilidade de polivitamínicos

A suplementação alimentar auxilia o emagrecimento

Alguns organismos, em função da alimentação inadequada, carecem de dose complementar de vitaminas, ou de minerais.

Muitas vezes, esta necessidade acontece porque apenas pequena quantidade é gerada por alimentação desequilibrada ou insuficiente.

Para compensar a insuficiência de minerais e de vitaminas, resultantes de alimentação desbalanceada, surgiram polivitamínicos compostos por vários minerais e vitaminas.

O cuidado é para que a suplementação deles seja feita em pequenas doses, apenas para completar o que faltou na alimentação.

 

Situações recomendadas

 

Há situações para as quais são indicados complementos, suplementos ou doses de vitaminas. Veja!

  • Indivíduos que fazem atividade física intensa e com frequência devem tomar doses suplementares de vitamina C (até 500 mg/dia), já que durante a atividade física intensa ocorre produção endógena excessiva de radicais livres (estresse oxidativo), havendo a necessidade de produção compensatória de enzimas antioxidantes.

A vitamina C tem esta finalidade, porque auxilia a produção destas enzimas.

 

  • Para o mesmo grupo de pessoas também é interessante tomar doses complementares de vitaminas do grupo B, caso da tiamina, riboflavina, niacinamida, ácido pantotênico e piridoxina, porque são usados pelas células para a produção de energia, ocorrendo de forma mais intensa durante atividades físicas extenuantes.

 

  • Mulheres que pretendem engravidar podem fazer uso prévio de doses suplementares de ácido fólico (5 mg/dia) alguns meses antes de iniciar a gestação, com orientação de ginecologista ou de obstetra, já que diminui o risco de má formação fetal.

As gestantes devem fazer uso de suplementos de ferro para evitar a anemia durante a gestação.

 

  • Vegetarianos estritos devem tomar doses complementares de vitamina B12 para evitar a carência do nutriente em longo prazo.

 

  • Mulheres que entram na menopausa precisam fazer uso de doses complementares de cálcio e vitamina D para diminuírem o risco de osteoporose.

 

  • Crianças que nascem de mães desnutridas ou endêmicas para deficiência de vitamina A devem receber injeção intramuscular de doses de vitamina A para evitar deficiência imunológica e a perda da visão.

Importante, sempre, é não esquecer que o uso de vitaminas e de minerais deve ser orientado por profissional especializado.https://prosaudelojas.com.br/alimentos-que-aceleraram-o-metabolismo/

Avaliação individual

 

A recomendação é a de que seja feita avaliação individualizada de cada pessoa, definindo a dose adequada, o tempo de uso, respeitando eventuais contraindicações para evitar o risco de efeitos colaterais, (como qualquer medicamento), antes de indicar o consumo de suplemento alimentar.

Suplementos substituem a alimentação?

 

Suplementos têm vitaminas e proteínas que fazem bem para o coração, os rins, o fígado e músculos, mas, mesmo assim, eles não substituem a alimentação.

Os suplementos prontos (industrializados) representam solução segura e acessível para quem busca equilíbrio e melhora da imunidade corporal.

Qualquer suplemento alimentar, por melhor que é, não é capaz de substituir boa dieta alimentar ou tratamento médico específico.

Útil para suplementar

 

Como o próprio nome diz, suplemento é algo que existe para completar, sendo, portanto, complemento alimentar e não substituto alimentar.

Os suplementos são indicados para pessoas que apresentam grande carência de determinado nutriente.

A suplementação alimentar ajuda o emagrecimento

 

Funções cumpridas

 

Em geral, todavia, alimentação equilibrada faz este papel, seja para prática de exercícios ou para as atividades do dia-a-dia.

Em alguns casos, entretanto, os suplementos precisam ser usados para proteger e fortalecerem o sistema imunológico e, também, para manterem a massa muscular.

Isto ocorre com a complementação de vitaminas e de proteínas, incrementando a dieta.

 

Cuidados com suplementos alimentares

Antes de optar por suplementação alimentar é importante saber a qualidade do que vai ser consumido, assim como é importante saber, igualmente, escolher os alimentos a serem consumidos.

Prescrição de profissional

 

O uso ideal de suplementos alimentares é consumi-los com indicação e dose correta definidas por profissional da área de Saúde, seja para complementar eventual falha na alimentação, seja para suplementar os casos da necessidade de emagrecer ou de ganhar massa muscular.

A recomendação e a dose devem ser prescritas por médico ou nutricionista.

 

Alerta contra excessos

 

Alerta especial diz respeito aos excessos, uma vez que exagerar na dose pode gerar consequências danosas ao organismo.

No caso das proteínas, por exemplo, o exagero pode causar sobrecarga aos rins.

https://www.hcor.com.br/imprensa/noticias/suplementos-alimentares-para-que-servem-e-quando-tomar/

 

Para que servem os suplementos

A suplementação alimentar é importante para o processo de emagrecimento

Importante se torna saber quais são e para o que servem os suplementos alimentares.

Nutricionistas e endocrinologistas, entre outros profissionais, estão habilitados a prestarem orientações sobre os benefícios e a importância dos suplementos.

São indicados para a pessoa ganhar massa magra, ter mais energia, auxiliar o processo de emagrecimento, aumentar a imunidade, controlar a insulina e, até aumentar a libido.

Suplementos alimentares para quem quer emagrecer

 

Na verdade, suplementos são, muitas vezes, eficientes para gerar a perda de peso. A ressalva, todavia, é a de que seja feita a escolha certa.

Perder peso é esforço multidisciplinar, porque há a necessidade de equilibrar a dieta, manter sob controle a ansiedade, realizar atividades físicas e, sobretudo, escolher os suplementos alimentares corretos.

Nutricionistas esclarecem que é preciso escolher o suplemento conforme o objetivo final a ser atingido.

Os suplementos deste gênero mais populares são:

https://prosaudelojas.com.br/alimentos-nocivos-a-imunidade/

Whey Protein

 

Suplemento proteico feito à base de proteína extraída do soro do leite. Usado para ganhar massa muscular, porque contém proteínas de alto valor biológico que contribuem para a reparação do músculo que sofre microlesões durante a prática de exercícios.

Com a ajuda da proteína, a fibra muscular é reparada, ficando maior e mais forte.

Proteína de rápida absorção auxilia o fortalecimento de músculos e gera ganho de massa muscular.

 

Versões whey

 

Há diferentes versões whey para atender as necessidades e prioridades de cada indivíduo.

 

        • Whey Isolado: obtido a partir do soro do leite. Possui alto valor biológico e pequena quantidade (ou, até ausência)            de carboidratos e gordura.

         • Hidrolisado: passa por processo de hidrólise no qual as cadeias de proteína são quebradas em segmentos ainda           menores (peptídeos), proporcionado maior rapidez de absorção.

 

  • Concentrado: produzido através de ultrafiltragem, mantém moléculas grandes de proteína e contém gordura e lactose. A capacidade de absorção é mais lenta, podendo ser absorvido em até 80% pelo organismo.

 

  • Whey vegano: composto por proteínas vegetais para atender público que não consome proteína animal ou, possui alergia alimentar. Proteína de alto valor nutricional e de boa digestibilidade.

 

BCAA (Branched Chain Amino Acids = Aminoácidos de Cadeia Ramificada)

 

Formado por três aminoácidos essenciais que não são produzidos pelo organismo: valina, leucina e isoleucina. Ajudam as células a produzirem proteínas. Participam do processo de produção de energia durante a prática de atividade física, principalmente de exercícios de longa duração, evitando a fadiga central.

Os referidos aminoácidos (leucina, isoleucina e valina) estão presentes em 19% das proteínas musculares.

Como os BCAAs são metabolizados nos músculos, e não no fígado, eles fornecem energia durante o exercício prolongado.

 

Glutamina

 

Constituída por aminoácidos não-essenciais, que são produzidos naturalmente pelo corpo, são indispensáveis ao organismo.

Estes aminoácidos formam blocos de construções das proteínas que beneficiam o transporte de nitrogênio até os músculos. Beneficia, portanto, o processo de ganho de massa magra.

Também exerce papel importante no sistema imunológico.

 

Creatina

 

Aminoácido presente tanto nos alimentos de origem animal quanto no organismo humano, que o produz. Suplementos de creatina são especialmente indicados para praticantes de atividades físicas de alta intensidade.

Pode ser obtida através do consumo de peixes de escamas e outros alimentos, sendo que a suplementação gera aumento de até 20% nas concentrações musculares, potencializando o desempenho durante a atividade física.

Aumenta a força muscular e auxilia o ganho de massa muscular.

Como efeito negativo, provoca retenção hídrica.

 

Ômega-3

 

Os ácidos graxos ômega-3 são excelentes para a melhora do sistema imunológico, prevenindo doenças cardiovasculares.

Também garantem o bom funcionamento do cérebro e ajudam a performance durante atividades físicas, elevando a potência aeróbica e a força muscular.

Os peixes de águas frias, como o salmão, e a semente de linhaça, são as melhores fontes da substância, que também é encontrada em cápsulas, como forma de suplementação.

Colágeno hidrolisado

 

Suplemento alimentar obtido a partir de ossos e de cartilagens de origem bovina pode ser utilizado para promover a produção de colágeno pelo corpo.

O colágeno melhora a qualidade da pele, de unhas e do cabelo. Auxilia o fortalecimento de articulações e é coadjuvante em tratamentos da osteoporose.

 

Vitamina D

 

Tem como principal função auxiliar a absorção do cálcio pelos ossos, regulando o metabolismo ósseo e os volumes apropriados de cálcio e de fósforo que circulam no sangue.

Também fortalece o sistema imunológico. Cumpre importante função na saúde vascular, além de prevenir o envelhecimento precoce.

 

Zinco quelado

 

Mineral com papel primordial para o bom funcionamento do organismo. Age no sistema imunológico e reprodutor, no metabolismo das proteínas e dos carboidratos.

 

Picolinato de cromo

 

Auxilia a manutenção dos níveis apropriados de glicemia durante o treino, já que modula a secreção de insulina.

Pelo mesmo motivo, também ajuda o emagrecimento, já que o excesso de insulina produz ganho de peso.

 

HMB (ácido hidroximetilbutirico)

 

Rico em cálcio e fósforo ajuda a contração muscular, propiciando efeito anticatabólico, não permitindo a destruição de massa magra no pós-treino.

 

Palatinose

 

Carboidrato de rápida absorção que gera energia e fornece o aporte de glicose durante o treino.

 

DHEA

 

Com a comercialização proibida no Brasil, é bastante comercializado nos EUA e Europa. Promove o aumento da libido e melhora a disposição para treinar.

Como precursor da testosterona, gera discreto aumento de massa magra e a diminuição da gordura corporal.

 

Maca peruana

 

Suplemento com fama de afrodisíaco melhora a libido tanto em homens quanto em mulheres.

De semelhante modo, melhora, igualmente, os níveis de testosterona sanguíneos, aumentando, em consequência, a disposição para o dia-a-dia e para a prática de exercícios físicos.

 

CLA (ácido linoleico conjugado)

 

O CLA, por representar conjunto de isômeros do ácido linoléico, tem sido considerado potente agente antiobesidade pelas propriedades moduladoras no metabolismo lipídico.

Produto com múltiplas funções controla os níveis de insulina no sangue, auxilia a redução da gordura abdominal, promove alteração positiva nas proteínas ligadas ao metabolismo das gorduras e melhora as taxas de colesterol e de triglicerídeos.

Também gera aumento para a “queima” de gordura e ganho discreto de massa muscular.

 

L-cartinitina

 

Consumido antes da prática de atividades aeróbicas, acelera o uso da gordura corporal como fonte de energia, melhorando, por extensão, a capacidade física durante o exercício físico.

Atua como auxiliar na perda de peso.

A suplementação com a substância é indicada para vegetarianos, que apresentam, de modo natural, taxas mais baixas da substância no organismo.

 

https://gnt.globo.com/bem-estar/noticia/os-cinco-melhores-suplementos-alimentares-para-quem-quer-emagrecer.ghtml

 

Quem pode usar suplementos?

 

De maneira em geral, todas as pessoas podem realizar a suplementação, seguindo, no entanto, indicação de profissional de Saúde.

Não é difícil encontrar, por exemplo, pessoas que seguem dietas vegetarianas ou veganas se valendo da suplementação para garantirem a ingestão de todos os nutrientes necessários para a manutenção da saúde perfeita.

 

Perigo dos excessos

 

Usados de forma abusiva, excessiva, os suplementos podem gerar malefícios, caso, por exemplo, de dor de cabeça, fadiga e tontura.

O excesso de vitaminas no organismo pode, de igual modo, levar a intoxicação. Acontece que algumas vitaminas servem de depósito e ficam no organismo, caso das vitaminas A, B, E e K.

 

Riscos da autossuplementação

 

Quando o uso de suplementos alimentares não for indicado por pessoa qualificada, ele pode causar graves problemas de saúde, caso, por exemplo, do chá de picão-preto e o de Aloe vera, que podem provocar hepatite.

Conheça outras doenças que podem ser causadas por suplementos alimentares quando forem usados inadequadamente. Veja!

< Icterícia.

< Náuseas.

< Vômitos.

< Urina escura.

< Mudança na cor das fezes.

< Fadiga.

< Coceira na pele.

 

Fígado e rins

 

Além disto, o uso de suplementos sem indicação médica representa outros riscos para a saúde, afetando o fígado e os rins, que estão na lista dos órgãos mais prejudicados.

Isto acontece porque a maioria dos suplementos apresenta grande quantidade de proteínas que sobrecarregam estes dois órgãos.

https://prosaudelojas.com.br/produtos-naturais-no-combate-a-depressao/

Excesso gera ganho de peso

 

Se forem consumidos em excesso, os suplementos podem gerar ganho de peso e de gordura corporal.

Quando combinados à alimentação inadequada, eles aumentam a quantidade de calorias que não conseguem ser transformadas em massa muscular, especialmente, quando ocorre sobrecarga de nutrientes, como, por exemplo, as proteínas, segundo explicam nutricionistas.

https://www.google.com.br/search?lei=5glFX7W0KO695OUPsIuu

 

Dificuldade de absorção de nutrientes

 

Suplementos apenas devem ser usados sob orientação profissional.

Existem muitas fórmulas, com diversos ingredientes.

É preciso avaliar qual é a necessidade real da utilização. Há pessoas, por exemplo, que apresentam dificuldade de quebra de comidas e absorção de nutrientes. Para elas é recomendada a utilização dos suplementos alimentares, conforme indicam profissionais.

 

 

 

Categorias de suplementos alimentares

 

Existem seis categorias de suplementos alimentares. Acompanhe!

 

Hipercalóricos

Suplementos que possuem alto teor de calorias. São compostos por carboidratos, proteínas, gorduras, vitaminas e minerais.

Equivalem a uma refeição completa.

 

Proteicos

Ricos em proteínas, que podem ser encontradas em formas concentradas, hidrolisadas e isoladas. São empregados para a recuperação muscular após treinamento de força.

 

Termogênicos

São ricos em substâncias que aceleram o metabolismo (guaraná, Citrus aurantium, inositol, etc.). São úteis para a perda de peso e de gordura corporal.

 

Antioxidantes

Vitaminas e minerais que agem como antioxidantes. Exercem a função de combater os radicais livres produzidos durante o exercício.

 

Polivitamínicos e minerais

Indicados para as pessoas que precisam da complementação de vitaminas e minerais para as atividades do dia-a-dia.

 

Hormonais

São substâncias precursoras de hormônios.

 

Suplementos para ter mais energia

 

Para fazer uso de suplementos que garantam o aumento de energia é preciso ter, antes de tudo, as indicações e a prescrição médica ou de outro profissional da área. Aliás, isto acontece em todos os demais casos de uso da suplementação alimentar.

Sendo difícil, contudo, para se livrar dos problemas do dia-a-dia, pode-se buscar a ajuda profissional, nutricionista, por exemplo, já que ele(a) pode indicar o suplemento ideal para cada situação.

Em alguns casos, como de pessoas que apresentam baixa ingestão de carboidratos, podem ser usados suplementos para aumentarem a energia.

 

Suplementos à base de vitaminas C e B

 

De acordo com orientações especializadas, os suplementos para garantir energia são produzidos à base de vitaminas C e do complexo B.

A maioria dos suplementos se resume nestas vitaminas, mas, há alguns outros que apresentam carboidratos com índice glicêmico para proporcionar rápida reposição do glicogênio muscular, que é a fonte de energia armazenada nos músculos.

 

Sem fórmula “mágica”

 

Não existem fórmulas “mágicas” para alcançar o emagrecimento saudável.

O segredo é ter muita determinação para praticar exercícios físicos, principalmente os aeróbicos.

Além, é claro, de perseverar no uso de dieta rigorosamente adequada. E, também, o uso eventual de suplementos.

 

Bebidas para “queimar” gorduras e emagrecer

 

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda consumir no mínimo dois litros de água por dia, hábito que ajuda a emagrecer.

Importante, nesta questão, é variar e acrescentar líquidos que ajudarão a eliminar gordura e diminuírem a retenção de líquidos.

Entre os líquidos que são capazes de ajudar o processo de emagrecimento, o destaque fica com:

 

  • Água de coco

Por ser oxidante é boa para todas as pessoas, independente da prática de exercícios físicos.

É melhor consumir a água pura do coco. A bebida é encontrada na forma industrializada, mas, neste caso, importante é conferir o prazo de validade.

 

  • Suco verde

Deve ser feito utilizando vegetais verdes crus. É permitido abusar da criatividade e experimentar variadas combinações, como, por exemplo, couve, espinafre, aipo, agrião, e todos os tipos de hortaliças. Só não pode usar açúcar.

  • Água com limão

De preferência, tomar em jejum, pela manhã. O ideal é consumir a água morna, porque melhora a saúde corporal, inclusive, a pele.

 

  • Alcachofra

Vegetal com maior poder diurético, libera a retenção de líquidos. Ótimo também para o fígado.

 

  • Chá branco

Reduz o colesterol e “queima” gorduras.

Pode ser tomado de três a quatro vezes ao dia.

 

       •   Gengibre

Por ser termogênico, ajuda a combater problemas hormonais, estresse, além de “queimar” as gorduras do abdômen.

 

  • Água de canela e maçã

Possui forte efeito na liberação de toxinas, porque é diurética. Ajuda a perder peso. A recomendação é tomar um litro por dia. Auxilia a reduzir o colesterol.

 

https://lifestyle.uai.com.br/saude/7-bebidas-para-queimar-gorduras-e-emagrecer/

 

Combinação de ações

 

Dieta saudável e balanceada, atividades físicas regulares e eventual suplementação alimentar adequada são ações que precisam ser combinadas para que o processo saudável de emagrecimento tenha sucesso.

Muito além do valor calórico de cada alimento é preciso prezar pelo valor nutricional dele, observando, por exemplo, a presença de nutrientes como vitaminas e minerais, contemplando todos os grupos alimentares nas refeições.

Adotando esta fórmula, dificilmente acontecerá o excesso de gordura corporal e, por consequência, o sobrepeso ou, até mesmo, a obesidade.

Caso não seja alcançado o peso e a massa muscular ideais com a alimentação corriqueira, do dia-a-dia, é possível recorrer aos suplementos alimentares para alcançar peso recomendado considerando altura, idade e biotipo.

Neste processo todo não pode ser esquecida a importância da atividade física regular.

Pirâmide alimentar

 

Oito grupos de alimentos são classificados segundo a pirâmide alimentar:

> Carboidratos.

> Vegetais.

> Frutas.

> Carnes.

> Leite.

> Leguminosas.

> Gorduras.

> Açúcares.

Cada um destes grupos desempenha função própria e cada qual tem importância para a saúde.

No entendimento de alguns especialistas, a recomendação é a de que cada grupo de alimentos deve ser inserido na dieta em níveis adequados para favorecer o emagrecimento.

 

Não há rotina ideal

 

Em decorrência da multifatoriedade, não é possível estabelecer rotina única como sendo a ideal para todos visando ao emagrecimento com saúde.

Acontece que alguns tipos de organismo podem ter melhor afinidade com determinada dieta, prática de exercício ou suplemento.  Com outros, todavia, não ocorre o mesmo.

 

Última recomendação

 

O mais importante é que para cada iniciativa de emagrecimento aconteça o acompanhamento profissional da área da Saúde.

 

 

Segredos do emagrecimento saudável

Prometeu emagrecer em 2020?

Ainda dá tempo!

Antes, conheça os segredos do emagrecimento saudável. Pode ser?

Basta iniciar rotina saudável em termos de alimentação e de prática de atividades físicas.

Alguns segredos que estão sendo apresentados neste post são, portanto,úteis para perder peso com saúde.

Igualmente, há dicas para evitar o efeito sanfona, (emagrece, engorda; emagrece, engorda), fato que é possível com a adoção de programa de emagrecimento seguindo cardápio alinhado ao objetivo de perder peso de forma segura e duradoura. Igualmente, são, portanto, muito úteis.

 

Cuidado com dietas “milagrosas”

 

Sempre mais pessoas estão fazendo de tudo para emagrecer.  Algumas chegam a acreditar e a seguir dietas “milagrosas”, mas, é preciso ter muito cuidado com este tipo de dietas.

Outras decidem até tomar remédios sem prescrição médica. Tudo isto, no entanto, representa grande risco para a saúde. E, o pior: os resultados destas iniciativas não são nem minimamente alcançados.

 

Obesidade, doença que afeta muitas pessoas

 

O excesso de gordura corporal (obesidade) é mal (doença) que atinge, principalmente, a população das nações desenvolvidas e as que estão em desenvolvimento. A questão demanda, por esta razão, atenção especial.

Considerada epidemia mundial, a obesidade afeta pessoas de todos os níveis socioeconômicos.

 

Diferenças sociais

 

Observadas em vários países, as diferenças sociais influenciam a prevalência da obesidade. Até mesmo,

grupos de menor renda e escolaridade mais baixa têm maiores riscos de sobrepeso e de obesidade.

 

Predominância entre mulheres

 

A obesidade, claramente, tem mais predominância em mulheres em todo o mundo.É por esta razão, portanto, que elas precisam adotar maior nível de cuidados.

Estudos demonstram que os fatores determinantes da obesidade são diferentes entre os sexos, ocorrendo com maior freqüência com o aumento da idade. Adultos e idosos estão, portanto, mais sujeitos à ela.

 

Situação no Brasil

 

Mais da metade dos brasileiros está acima do peso, enquanto que a obesidade atinge a 17% da população. Outro dado alarmante é que 20% das crianças sofrem com a obesidade. A situação, destarte, é por demais preocupante!

 

Situação no mundo

 

Em torno de 2,1 bilhões de pessoas, em todo o mundo, são obesas ou têm sobrepeso. Este número representa 30% da população mundial.Em outras palavras, isto quer dizer, que a situação não está nada boa.

 

 

Consequências do excesso de peso

 

O sobrepeso e a obesidade são fatores de risco para diversas doenças, como alguns tipos de câncer.

As consequências do excesso de peso demonstram que a obesidade é fator de risco para a maioria das doenças crônicas, caso do diabetes Melitus, da hipertensão arterial, da hipercolesterolemia (colesterol alto), de doenças cardiovasculares, de certos tipos de neoplasias (cânceres) e, ainda, da apneia do sono, de distúrbios psicossociais e de osteoartrites.

A recomendação da adoção de cuidados se torna, portanto, em fator crucial.

 

Doenças relacionadas ao sobrepeso e à obesidade

 

  • Doenças cardiovasculares: pessoas obesas têm até duas vezes mais chances de desenvolverem doenças cardíacas do que pessoas com peso ideal.

Isto acontece porque estar acima do peso exige que o corpo trabalhe mais, demande mais oxigênio e sangue, sobrecarregando órgãos, como o coração, por exemplo.

As principais doenças cardiovasculares relacionadas ao sobrepeso e obesidade são:

doença cardíaca coronária, insuficiência cardíaca; hipertensão; tromboembolismo (trombose + embolia pulmonar), fibrilação atrial (frequência cardíaca irregular).

 

  • Diabetes tipo 2: cerca de 80% das pessoas com a doença são obesas. Abusar de alimentos ricos em açúcares e carboidratos refinados pode causar tanto sobrepeso e obesidade quanto diabetes tipo 2.

Estes hábitos, portanto, fazem com que o organismo deixe de produzir ou fique resistente à insulina, hormônio responsável por controlar o nível de açúcar no sangue, provocando a doença.

 

  • Doença renal crônica: estar acima do peso é extremamente prejudicial porque pode sobrecarregar os rins e aumentar a pressão arterial de estruturas dentro do órgão. Gera a perda progressiva das funções dos órgãos, como filtrar o sangue e produzir hormônios, causando doença renal crônica.

 

  • Câncer: a obesidade é o segundo maior fator de risco controlável para o câncer, perdendo apenas para o tabagismo. O excesso de gordura aumenta, portanto, perigosamente, os níveis de hormônios que auxiliam o crescimento de células cancerígenas.

 

  • Apneia do sono: distúrbio que faz com que a pessoa pare de respirar por alguns instantes durante o sono. O quadro piora com o sobrepeso e a obesidade, já que o aumento da circunferência do pescoço, causado pela gordura acumulada, dificulta a passagem de ar durante o sono, resultando na apneia.

 

  • Outros problemas: estar acima do peso representa fator de risco para a depressão e problemas ao sistema locomotor. Por isto, portanto, sempre é preciso estar bastante atento para qualquer quadro do gênero.

Atenção aos números da balança

 

Para não correr o perigo de ser acometido por doença causada pelo excesso de peso corporal é preciso ficar, pois, bastante atento aos números da balança e tomar as providências para evitar este problema.

 

Peso ideal

 

Importante se torna conversar com profissional de Saúde para saber qual é o peso ideal, já que ele pode variar em função de alguns fatores, como a idade e o biotipo.

Se você está preocupado(a) com o peso, não deixe de se consultar com especialista, porque ele vai indicar o que deve ser feito para melhorar a saúde e, principalmente,  prevenir complicações futuras mais sérias.

 

Sentir-se bem com o corpo

 

Ter ânimo e fôlego para encarar nova rotina alimentar e estar disposto a praticar, regularmente, atividades físicas são questões importantes para a pessoa se sentir bem com o próprio corpo.

A propósito, este é um dos segredos do bem-estar e uma das razões para “curtir o próprio corpo”.

 

Perda dos quilinhos indesejados

 

Por causa dos riscos à saúde que o excesso de peso representa, muitas pessoas estabelecem metas para perderem o excedente prejudicial de peso, os conhecidos quilinhos extras.

Para alcançar, portanto, o objetivo da redução do peso existe um jeito, uma rotina bem saudável para fazê-lo.

 

Passo inicial

 

O primeiro passo é criar novos hábitos alimentares, adequados ao objetivo. Há a necessidade, para tanto, de aderir à reeducação alimentar, tanto para emagrecer, quanto para ganhar massa muscular ou, então, simplesmente, para manter o peso.

 

Programa de emagrecimento

 

Há programas de emagrecimento bem completos, ajudando os interessados a alcançarem as metas de forma segura.

Para ter sucesso neste empreendimento, um correto plano alimentar favorece o emagrecimento duradouro, que é, por sinal, o principal objetivo a ser alcançado, ou seja, fazer com que a perda de peso seja permanente, deixando para trás o angustiante efeito sanfona.

 

Por que dá certo?

 

Dá certo porque a pessoa, realmente, emagrece. E, o que mais faz diferença para estas pessoas são os desafios de unir o melhor da alimentação saudável à realização de exercícios físicos, isto é, proporcionando novo, feliz e satisfatório momento de vida.

 

Aprender a se alimentar corretamente

 

Aprender a se alimentar com cardápios e receitas detox é o principal desafio da reeducação alimentar.

Felizmente, diversas são as opções que podem ser adaptadas de forma personalizada para cada pessoa, com a possibilidade de escolher a estratégia apropriada para obter os melhores resultados, ou, seja, a perda real de peso, sem colocar em risco a saúde.

 

Alimentação saudável básica

 

A alimentação saudável abrange duas questões básicas:

1ª – Evitar alimentos prejudiciais ao organismo.

Consumir com moderação os alimentos benéficos.

A recomendação principal é, desta forma, adotar alimentação vegetariana, rica em fibras e nutrientes encontrados nos alimentos integrais.

 

Alimentos a serem evitados

 

No que se refere ao que não se deve consumir, destaque para serem evitadas bebidas estimulantes, como energéticos, alguns chás, café, mates, drogas lícitas, como álcool e fumo em todas as variações.

Da mesma forma, também, devem ser eliminados do regime alimentar, outros tipos de alimentos prejudiciais.

 

Dicas práticas da boa alimentação

 

Seguir orientações torna-se importante para manter a saúde e o peso corporal adequados. Confira!

  • Fazer três refeições ao dia em horários regulares, com intervalo de cinco horas entre elas.
  • Relaxar antes das refeições e não comer com ansiedade.
  • Comer devagar, mastigando muito bem.
  • Tomar de seis a oito copos de água por dia, nos intervalos das refeições (2,5 litros).
  • Não tomar líquido durante as refeições.
  • Tomar líquido 30 minutos antes ou duas horas após a refeição para evitar a distensão do estômago e a diluição das enzimas digestivas.
  • Iniciar o almoço com salada crua com temperos naturais, (limão, alho, cebola ou ervas aromáticas).
  • Iniciar o desjejum e o jantar pelas frutas.
  • Reduzir óleo no preparo dos alimentos.
  • Substituir frituras por alimentos assados e cozidos.
  • Dar preferência aos alimentos naturais e integrais.
  • Evitar o consumo de alimentos refinados e processados.
  • Priorizar o consumo de frutas, verduras e legumes.
  • Adotar dieta variada, preparando prato colorido.
  • Usar sal com moderação.

 

Formar cardápio

 

Ao compor o cardápio do dia-a-dia, portanto, a recomendação é seguir princípios básicos para escolher os alimentos, observando variedade, qualidade, moderação e abstinência.

https://www.adventistas.org/pt/saude/8-remedios-naturais/alimentacao-saudavel/

Definições fundamentais

 

Antes de descobrir o peso ideal que a pessoa deseja (e precisa) ter, ela precisa estabelecer as prioridades: Perder peso? Ganhar massa muscular? Manter o peso?

Estas definições são importantes já que delas dependem a dieta e a prática de exercícios.

 

Cardápio específico

 

Baseado nas indicações de altura e peso deve ser criado cardápio contendo tipos de alimentos e quantidades de alimentos conforme a meta pretendida. O método faz com que seja mais fácil e prático emagrecer.

Atenção para não “pular” refeição ou se esquecer de beber água no intervalo delas.

Apoio essencial para ser feliz

 

Com o apoio de psicólogo, nutricionista, nutrólogo, médico ou educador físico e, principalmente, determinação, é possível, por esta razão, manter o foco para atingir os objetivos.

Ânimo. Você vai conseguir. Não desista. Vá em frente. Tenha boa saúde e seja feliz!

 

Potencializar o emagrecimento

 

Desafios têm que se enfrentados com coragem para serem vencidos e turbinarem a queima de gordura e “secarem” a barriga, eliminando o incômodo inchaço abdominal.Por isto, não se pode desistir facilmente.

 

Emagrecimento ligado ao comportamento

 

Nada (ou pouca coisa) precisa ser proibido numa dieta, num regime, já que, o mais importante é comer com moderação os alimentos adequados.

Na verdade, quando um alimento é proibido, muitas vezes se fica com mais vontade de comê-lo, não é verdade?

No entendimento de especialistas, sobretudo nutricionistas, o emagrecimento está ligado ao comportamento da pessoa, principalmente no que diz respeito aos hábitos alimentares e à prática de exercícios físicos.

Numa dieta balanceada, num dia da semana, até mesmo o doce pode estar incluído, caso, por exemplo,  de um bolo com fruta, integrais e pouco recheio.

É possível comer um pedaço e saborear, sem culpa.

Se fizer o bolo em casa, escolher um dia em que haja mais pessoas para compartilhá-lo.

 

Dúvidas sobre o que engorda e o que emagrece

 

Muitas pessoas ficam sem saber se determinado tipo de comida engorda ou se emagrece. Acompanhe esclarecimentos de algumas destas dúvidas.

 

Farinha de berinjela emagrece?

NÃO!

A berinjela contém pectina, fibra que diminui o colesterol. Incluir a farinha ou a própria berinjela favorece a eliminação da gordura, MAS, não é possível assegurar que ela emagrece por si só.

 

Shake engorda ou emagrece?

DEPENDE!

Importante é atentar para o modo pelo qual ele é consumido. Substituir uma refeição pelo shake, como o jantar, por exemplo, pode até ser útil, MAS, tomar o shake e depois jantar, de nada adiantará, porque é o deficit calórico quem promove o emagrecimento.

 

Iogurte emagrece?

SIM, MAS, CUIDADO!

Praticamente todos os regimes alimentares estabelecidos para o emagrecimento recomendam tomar iogurte porque ele é considerado ótima opção de lanche, uma vez que dá saciedade como se fosse uma refeição. Dando mais saciedade, a pessoa come menos e por isto pode emagrecer.

Atenção!

Tomar cuidado com as bebidas lácteas que têm mais açúcar e menos proteína.

 

 

Dieta da proteína emagrece?

SIM!

Na maioria das vezes, emagrece porque faz com que ocorra a diminuição do estoque de carboidratos no organismo.

 

Queijo engorda?

O EXCESSO, SIM!

O que engorda é o excesso.

Ao se buscar o emagrecimento, a dica é escolher sempre os queijos mais light.

Atenção:

Quanto mais amarelo for o queijo, mais gordura e calorias ele contém. Por isto, dar preferência aos queijos mais brancos.

 

O perigo de querer emagrecer a qualquer custo

 

Profissionais da área de Saúde, especialmente cardiologistas, estão cada vez mais preocupados com o fato de pessoas quererem emagrecer a qualquer custo e, por isto, acabam tentando de tudo, medicamentos, dietas malucas, “milagrosas”, além de praticarem exercícios físicos sem a orientação especializada.

O ato de emagrecer tem que ser feito de forma saudável, segura e consciente sem colocar outros aspectos da saúde em risco.

 

Medicamentos para emagrecer

 

De acordo com especialistas, ainda não é possível encontrar no mercado, medicamentos totalmente seguros para o emagrecimento. Isto acontece porque todos têm efeitos colaterais.

Cardiologistas alertam que alguns remédios podem gerar efeitos nocivos, causando arritmias cardíacas, por exemplo.

 

Forma segura e saudável de emagrecer

 

A maneira mais saudável para se perder peso ainda é a famosa dieta prescrita por profissional, associada a exercícios físicos.Segui-la, pois, é a melhor solução.

Médicos esclarecem que emagrecer rápido não é bom para saúde porque, na maioria das vezes, acaba fazendo com que a pessoa recupere igualmente de forma rápida o peso que eliminou, provocando o conhecido efeito sanfona: emagrece e volta a engordar.

 

Metas seguras para a perda de peso

 

Para as pessoas que querem (ou precisam) emagrecer, o mais indicado é que busquem o emagrecimento estabelecendo metas de médio e longo prazo.

No caso de uma pessoa precisar (ou querer) perder cinco quilos, por exemplo, o ideal é estipular prazo de dois a três meses para consegui-lo.

Se for o caso de ter que eliminar 10 quilos, o prazo deve ser em torno de seis meses.

Para perder 20 quilos, a meta tem que ser buscada em longo prazo, um ano, por exemplo.

Estes prazos são necessários para que o corpo possa responder à nova dieta e aos novos estímulos.

 

Reeducação alimentar x dietas malucas

 

A recomendação de especialistas é a de adotar a reeducação alimentar ao invés de investir em dietas malucas, “milagrosas” ou, eventualmente, em alguma outra, que tenha funcionado com outra pessoa.

É preciso compreender e aceitar, sobretudo, que a dieta não é padrão, não podendo, por esta razão, ser igual para todas as pessoas.

Determinada dieta pode funcionar para alguém que perde cinco quilos, mas pode não funcionar para alguém que quer perder 10 quilos, por exemplo.

 

Não “pular” refeição

 

Variar a composição do prato no dia-a-dia.

Não ficar apenas no arroz e no feijão. Formar prato de salada ou de frutas ou, até mesmo, só com proteínas.

O mais importante, contudo, é não “pular” as refeições, porque isto não é bom para a saúde, segundo orientam médicos.

 

Consulta com especialista

 

Outro ponto importante, no entanto, a ser observado antes de partir para qualquer regime ou mesmo para a reeducação alimentar é a necessidade da consulta a especialista para que ele(a) estabeleça quantas calorias devem se ingeridas por dia.

 

Evitar açúcar refinado

 

Detalhe importante durante o processo de emagrecimento, entretanto, é a necessidade de evitar açúcar refinado e alimentos que o contenham, caso, por exemplo, de pães, doces e bolos e similares.

Isto, porque o açúcar refinado tem como principal função, engordar.

A mesma recomendação vale, da mesma maneira, para as pessoas em geral, mesmo as que não precisam emagrecer.

 

Preferência aos alimentos integrais

 

Alimentos integrais como arroz, pão e macarrão, conforme especialistas, contêm carboidratos que fazem bem à saúde.

 

Pratos coloridos

 

Deixar o prato mais colorido com a introdução de legumes, verduras e frutas o torna mais atrativo, saboroso e mais saudável.

Quando isto é feito com frequência, não há a necessidade do consumo de polivitamínicos.

 

Beber muita água

 

Beber muita água é ação obrigatória quando se almeja a perda de peso. A recomendação é a de consumir 2,5 litros por dia. Nunca, porém, durante as refeições, mas, sim, sempre nos intervalos delas.

 

Dieta detox

 

Dieta desintoxicante também é dica importante para o bom rendimento do regime que visa ao emagrecimento.

A recomendação é iniciar o processo de emagrecimento com dieta líquida, pois desintoxica o corpo.

 

 

 Fazer exercícios físicos regulares

 

Essencial é atentar para a importância complementar dos exercícios físicos à dieta, mas, atenção: a bateria de exercícios só pode ser feita após a permissão médica.

 

https://ciclovivo.com.br/vida-sustentavel/bem-estar/10-dicas-para-emagrecer-de-forma-saudavel/

 

Alimentação saudável não é alimentação restrita

 

Comer de modo saudável não quer dizer que a alimentação tem que ser restrita, repetitiva e sem cor.

A comida saudável, pelo contrário, inclui alimentos diversificados, coloridos e agradáveis ao paladar.

Para as pessoas que querem emagrecer, alimentação equilibrada e balanceada é requisito fundamental para alcançar os resultados ideais.

 

Não basta apenas perder peso

 

Para emagrecer e manter o novo peso, ideal, não basta, apenas, perder peso, porque também é necessário o acompanhamento profissional, a reeducação alimentar e a mudança no estilo de vida.

 

Leis fundamentais da boa alimentação

 

Nutricionistas explicam que a alimentação saudável é regida por quatro leis fundamentais:

  • Qualidade: os alimentos do cardápio devem fornecer todos os nutrientes necessários para o bom funcionamento do corpo.
  • Quantidade: o montante de alimentos deve ser suficiente para atender às necessidades de energia do organismo.
  • Harmonia: os alimentos que compõem a dieta devem ter relação de proporção entre si, de modo a evitar o excesso ou a deficiência de nutrientes.
  • Adequação: a alimentação deve se adequar às características de cada indivíduo, respeitando hábitos alimentares, situação socioeconômica, nível de atividade física e o estado de saúde.

 

Sem mágica

 

Importante é observar que seguir estas quatro leis não assegura a mágica do emagrecimento.  Elas, todavia, auxiliam a alcançar o equilíbrio na alimentação.

Fugir de fórmulas “milagrosas”

 

Seguir fórmulas “milagrosas” para emagrecer (como muitas estão aí, na Internet) não é a opção recomendada para obter emagrecimento saudável.

As dietas da moda, na maioria das vezes, incluem a ingestão de um ou poucos alimentos, que devem ser consumidos repetitivamente sem o complemento de alimentos extras, ricos em outros nutrientes.

Desta forma, contudo, a alimentação não fornece ao organismo as substâncias necessárias para o funcionamento.

Pode até acontecer a perda de peso, mas, é bastante provável que o peso perdido, retorne logo em seguida.

 

 

Como deve ser a alimentação?

 

O melhor a fazer é optar por alimentos in natura ou minimamente processados.

Alimentos in natura são os alimentos naturais, ou seja, que não sofreram nenhuma transformação do estado original.

Este tipo de alimentação prevê a ingestão de diversos grãos, tubérculos e raízes, legumes, verduras e frutas, no mínimo, em três porções diárias.

Reduzir uso de óleo, gordura, sal e açúcar

 

Estes produtos até podem ser utilizados na preparação dos alimentos, mas, é preciso ter cuidado para evitar o excesso.

O uso abusivo destes produtos contribui para o surgimento da obesidade e de doenças, entre as quais estão problemas cardíacos.

 

Evitar alimentos processados

 

O consumo de alimentos processados (em conserva) e ultraprocessados tem que ser evitado, uma vez que eles possuem quantidades mínimas ou nenhum nutriente.

 

Comer em intervalos regulares

 

Estratégia importante é evitar longos períodos sem se alimentar. Isto, para evitar os sintomas desagradáveis da fome e o consumo descontrolado de alimentos no momento da refeição.

O alerta é para o intervalo destes horários, já que deve respeitar a individualidade da pessoa. Diante disto, é importante seguir as orientações do que se pode comer (quantidade e qualidade) em cada uma das refeições, para evitar exageros.

 

Desjejum, almoço e janta

 

No regime de emagrecimento, os alimentos saudáveis

têm que contemplar o desjejum, o almoço e a janta, sempre dando preferência a legumes, verduras e frutas variadas.

 

Carboidratos

 

Preferir opções integrais, como arroz ou macarrão, pois produzem maior sensação de saciedade.

A janta pode ser parecida com o almoço, ou, opção mais leve, como o desjejum. Também podem ser incluídas opções de sopas de legumes e verduras.

 

Lembrete importante

 

Convém lembrar que a composição das refeições varia de acordo com as necessidades e as preferências de cada pessoa, bem como as quantidades de alimentos.

 

Ação lenta

A perda de peso não é ação que acontece instantaneamente. Ela resulta de processo lento que deve ser acompanhado por profissional da saúde, da persistência e da realização de exercícios físicos.

 

 

Estilo de vida saudável

 

A dica é consultar especialista para optar por estilo de vida mais saudável, emagrecer com saúde e obter resultados satisfatórios.

http://www.bioanalise.com.br/blog/como-manter-uma-alimentacao-saudavel-para-emagrecimento/

 

Gastar calorias

 

Para alcançar perda de peso saudável e duradoura é importante investir em bons hábitos alimentares.

Para isto, existem diferentes tipos de dietas, cada qual utilizando método próprio, de acordo com a finalidade almejada.

Seguir dieta para perder peso é adquirir hábitos alimentares específicos.

O mesmo vale para manter ou ganhar peso.

Para perder peso com saúde, entretanto, é necessário que o corpo gaste mais calorias do que consome.

Por esta razão, normalmente, dietas são usadas em conjunto (complementação) com a prática de exercícios físicos específicos para emagrecer.

 

Dicas simples para boa dieta

 

Não ficar mais do que cinco horas sem se alimentar.

  • Dormir bem: durante o sono, o organismo produz leptina, hormônio capaz de controlar a sensação de saciedade durante todo o dia.
  • Beber água: pelo menos 2,5 litros por dia.
  • Investir na salada: ajuda a enganar o estômago e a comer menos nas refeições. Preferir verduras, legumes e frutas menos calóricas.
  • Preferir alimentos integrais: contêm mais nutrientes e fibras, que fazem bem ao organismo.
  • Evitar a ingestão de sal e alimentos com sódio: favorecem a retenção de líquidos, que é prejudicial.
  • Preferir comida menos calórica: assados, cozidos ou a vapor. Alimentos gratinados, fritos, à parmegiana ou à milanesa devem ser evitados.
  • Buscar ajuda especializada: de nutricionista, nutrólogo, médico, endocrinologista ou educador físico.
  • Se exagerar, não desista. Se, eventualmente, exceder num dia, recomece novamente no dia seguinte.

Não restringir e nem exagerar

 

De acordo com os corretos hábitos alimentares e as necessidades de cada indivíduo, não se deve restringir a alimentação, comendo muito pouco em alguns períodos e exagerar em outros.

 

Alimentos com poucas calorias

 

Receitas à base de alimentos com poucas calorias são saudáveis e recomendadas a quem quer perder peso.

Trata-se de alimentos que emagrecem, mas, que, também nutrem.

Vários tipos de comida têm poucas calorias e demandam muita energia para serem digeridos, ajudando a “queimar” os quilos extras.

 

Nutrição leve

 

Todas as pessoas que costumam brigar com a balança sonham em poder comer o que quiserem, sem se preocuparem com o acréscimo de peso. Este privilégio, no entanto, ainda não é fácil de ser obtido, mas há alguns alimentos que podem ser ingeridos à vontade e, em vez de engordarem, ajudam o emagrecimento.

Com baixa caloria e muitas fibras, estes alimentos são conhecidos como “calorias negativas”.

Eles não se confundem com os termogênicos, outros aliados das dietas, que são capazes de produzirem calor ao serem digeridos, sendo que este aumento no metabolismo deixa o corpo mais ativo para consumir mais calorias.

 

Melancia

 

Rica em fibras e diversos nutrientes ajuda também a hidratar, já que é composta por 90% de água. Fatia de 100 gramas contém 35 calorias, além de conter vitaminas A, B1, B2, B3 e C, potássio, cálcio, fósforo e glutationa, substância aliada do combate ao envelhecimento precoce. Ajuda no combate à hipertensão.

 

Alface

 

Cada 100 gramas de alface contêm apenas 11 calorias. Possui fibras, ferro, potássio, vitaminas A e C, e betacaroteno. Em chás e sucos, é usada como calmante e antialérgico.

 

Abobrinha

 

Rica em cálcio, magnésio, proteínas e potássio. Excelente opção não só para quem faz dieta, mas, também, para quem cuida da saúde dos ossos e do coração. Renova as células.

 

Pepino

 

Diurético natural tem papel importante no tratamento de cálculos renais. Tem antioxidantes que evitam o envelhecimento precoce e previnem o câncer, doenças cardiovasculares e infecções. Contém magnésio, potássio, vitaminas B5 e C e carotenoides.

 

Damasco

 

Ferro, cobre, fósforo, magnésio, potássio, e vitaminas A, B3, B5 e K são propriedades do damasco, cuja ação no organismo é antioxidante, protegendo o corpo contra doenças cardíacas, câncer, envelhecimento e problemas intestinais, já que possui muitas fibras.

 

Couve

 

Traz vários benefícios à saúde porque é repleta de nutrientes como cálcio, ferro, vitaminas C, K e B6, e antioxidantes. Previne o câncer, problemas ósseos, infecções e o sistema imunológico.

Berinjela

 

Crua, a berinjela fornece manganês (que se perde com o cozimento). Possui fibras, proteínas, vitaminas A, B1, B2, B5 e C, cálcio, fósforo, ferro, potássio, magnésio e alcaloides. Melhora a função intestinal, o sistema cardiovascular, o sistema imunológico e a prevenção de doenças, como o câncer.

 

Maçã

 

Importante consumi-la com casca. Além de ter fibras, a casca da fruta contém pectina, que reduz as taxas de colesterol e o depósito de gordura nas artérias, além de melhorar a circulação do sangue. Também tem fósforo, ferro, e vitaminas B1, B2 e niacina.

 

Beterraba

 

Além de ajudar a emagrecer, tem propriedades antioxidantes, prevenindo contra doenças degenerativas e cardiovasculares. É recheada de vitaminas A, K, B1, B2, B5, B6, B9, C e E. Também tem cálcio, potássio, ferro, cobre, manganês e magnésio. Ajuda a prevenir a anemia, problemas ósseos e imunológicos.

 

Mexerica

 

Importante ao emagrecimento por causa das fibras. Protege a saúde dos olhos, da pele, de músculos e do sistema nervoso. Contém vitaminas A e C, magnésio, potássio, cálcio e fósforo. A casca serve para fazer geleias e compotas, pois tem vitaminas A, B1, B2, niacina, vitamina C, cálcio e fósforo.

Alho

 

Os benefícios do alho vão muito além do bom tempero. Contém vitaminas A, B2, B6, C, ferro, silício, iodo, selênio, alicina. Melhora o funcionamento cardiovascular e o sistema imunológico.

 

Pera

 

Rica em água, contém 71% de fibras não-sol​​​​​​úveis, garantindo maior sensação de saciedade e melhora ao trânsito intestinal. O açúcar natural da fruta tira a vontade por doces e ajuda a reduzir a fome e a evitar o consumo de alimentos açucarados.

Para ajudar a emagrecer, deve ser consumida cerca de 20 minutos antes das principais refeições.

 

Canela

 

Condimento aromático que gera efeito termogênico no organismo, aumentando o metabolismo e o processo de queima da gordura corporal.

Ajuda a reduzir os picos de açúcar no sangue, aumenta a sensibilidade à insulina e diminui a resistência à insulina, favorecendo a perda de peso.

Outros alimentos que possuem propriedades termogênicas são o gengibre, a pimenta vermelha e o chá de hibisco.

 

Arroz integral

 

Diferentemente do arroz branco é rico em fibras, ajudando a aumentar a saciedade, reduzindo o volume da ingestão de alimentos. É rico em vitaminas do complexo B, zinco e selênio, nutrientes antioxidantes que melhoram a circulação sanguínea, a concentração e a memória.

Aveia

 

Rica em fibras solúveis e proteínas que dão saciedade e regulam o intestino. Regula a glicemia e controla o colesterol alto, fazendo com que a fome demore mais tempo a chegar.

 

Farelo de trigo

 

Muito rico em fibras, tem poucas calorias. Combate a prisão de ventre e ajuda no controle da glicemia, além de aumentar a saciedade.

 

Morango

 

Além de ter poucas calorias é rico em fibras. Ajuda a controlar os níveis de açúcar no sangue e aumenta a sensação de saciedade, diminuindo a necessidade de calorias, promovendo a perda de peso. Também é rico em vitamina C, folato e outros compostos fenólicos que proporcionam efeitos antioxidantes e anti-inflamatórios.

 

Chá verde

 

Possui propriedades termogênicas, acelerando o metabolismo e favorecendo a queima de gordura. Ajuda a queimar gordura durante o exercício físico. É rico, também, em catequinas, potentes antioxidantes que ajudam a melhorar o metabolismo.

 

Linhaça

 

Rica em antioxidantes e ômega-3, gordura boa que ajuda no controle do colesterol e que diminui a inflamação no organismo, facilitando o processo de emagrecimento. Rica também em fibras que melhoram a digestão e aumentam a saciedade.

 

Leguminosas

 

Feijão, ervilha, lentilha e grão-de-bico são fontes de proteínas e fibras alimentares que aumentam a saciedade e combatem a prisão de ventre.

 

http://www.minhavida.com.br/alimentacao/tudo-sobre/20643-alimentacao-saudavel

Alimentos que interferem na sexualidade(Abre numa nova aba do navegador)

Outras dicas para perder peso

 

Pessoas perguntam se é possível melhorar a forma física sem a necessidade da rotina da malhação tradicional com equipamentos e exercícios repetitivos de uma academia.

Também perguntam se é possível melhorar a saúde, sem recorrer à rotina da esteira e levantar pesos?

Há algumas dicas que podem servir como respostas para estas indagações. Acompanhe!

 

Hidratação

 

Beber muita água é fundamental para quem quer emagrecer ou melhorar a saúde. O mínimo é a regra básica de 2,5 litros por dia. Beber água 30 minutos antes do almoço, por exemplo, ajuda a acelerar a taxa metabólica do corpo.

 

Porções menores

 

Comer em pratos menores. A dica pode até parecer engraçada, mas, já foi comprovado que se come mais quando são utilizados pratos e copos maiores. Diminuir as louças ajuda bastante. Cuidar para que cada refeição seja feita em intervalos para não sentir fome.

Dormir mais

 

Noite de sono com qualidade faz muita diferença para a pessoa se sentir melhor. Além de melhorar a mente, ajuda o emagrecimento. Quem dorme mal, acorda com mais fome.

Observação importante:

Não comer alimentos pesados à noite porque dificultam o sono.

 

Ser criativo para se exercitar

 

Não gosta de academia? Nem de esportes?

Tudo bem, todavia, não se esqueça que é preciso mexer o corpo. Por isto, seja criativo na hora de fazer atividade física. Caminhar, correr, pedalar e por aí vai…

Alimentos nocivos à imunidade(Abre numa nova aba do navegador)

Emagrecer demanda melhora do trânsito intestinal

 

Na verdade, os alimentos que ajudam a emagrecer são os que melhoram o trânsito intestinal, combatem a retenção de líquidos, aceleram o metabolismo e que ajudam a “queimar” calorias.

Exemplos destes alimentos são a melancia, a aveia e a berinjela, que precisam ser consumidos diariamente ao longo do dia, aliados à prática de atividade física regular e à alimentação saudável, pobre em açúcar, doces, gordura, frituras e alimentos processados.

Sucos detox para emagrecer

Pelo fato de terem poucas calorias e serem ricos em nutrientes que melhoram o funcionamento dos intestinos e do fígado, os sucos desintoxicantes ajudam a emagrecer e a limpar o organismo.

Também têm ação antioxidante, fortalecendo o sistema imunológico.

São ricos em fibras que melhoram o trânsito intestinal.

Conheça alguns destes tipos de suco:

> Couve, limão e pepino.

> Couve, beterraba e gengibre.

> Suco detox de tomate.

> Limão, laranja e alface.

> Melancia e gengibre.

> Suco de abacaxi e couve.

> Melancia, caju e canela.

 

https://www.tuasaude.com/suco-detox/

 

Chás para emagrecer e “perder” barriga

 

Existem vários tipos de chás que estimulam a “queima” de calorias e ajudam a “perder” barriga.

 

Chá preto

 

Assim como o verde e o branco, o chá preto é elaborado a partir da planta Camellia Sinensis.

Possui ação termogênica, ajuda a perda de peso por conter polifenóis.

O chá preto deve ser associado à alimentação equilibrada.

Pode ser consumido quente ou frio, nos intervalos das refeições.

 

Chá branco

 

Tem ação termogênica e conta com alta concentração de antioxidantes. Por isto, o chá branco também ajuda a prevenir o câncer, protege o cérebro e a visão.

 

Chá de hibisco

 

Evita o acúmulo de gordura. Contribui para que menos gordura fique acumulada na região do abdômen e nos quadris.

Além disto, possui ação diurética, controla o colesterol, a pressão arterial e é aliado do cérebro.

 

Chá de canela

 

É termogênico e aumenta o gasto calórico do organismo durante a digestão e o processo metabólico. Tem ação anti-inflamatória, sendo recomendado para pessoas com obesidade.

 

Chá de gengibre

 

Conta com substâncias termogênicas que têm a capacidade de aumentar a temperatura corporal, acelerando o metabolismo e elevando a queima de gordura. Ajuda no tratamento de gripes, tosses e resfriados.

Também hidrata o corpo e ajuda a eliminar toxinas, contribuindo para o emagrecimento.

O que é preciso saber sobre o colesterol(Abre numa nova aba do navegador)